24 C
Guanambi
18.7 C
Vitória da Conquista

Polícia Federal atua no combate a crimes eleitorais

9,101FãsCurtir
15,413SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
823InscritosInscrever
Tiago Marqueshttps://agenciasertao.com/
Tiago Marques é redator e editor do site Agência Sertão. Trabalha com produção de conteúdo noticioso para rádio e internet desde 2015.

Últimas Notícias

Mais Lidas

Advertisement

Redação 96FM

A polícia federal atuou em alguns municípios do Brasil no combate a esquemas de compra de voto e de apoio eleitoral no pleito municipal de 2016. Em diversas regiões do país, operações foram deflagradas para apurar esquemas de crimes eleitorais, que envolvem abuso do poder econômico, compra de voto e financiamento ilegal de campanha. Uma operação também investiga o envolvimento de membros do Partido dos Trabalhadores na Bahia num esquema de financiamento ilegal de campanha em 2014,

Feira de Santa

veiculos-da-policia-federal-durante-operacao-simao-1-520x347

Nove pessoas foram conduzidas coercitivamente à polícia e oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Feira de Santana na última sexta-feira (30), antevéspera da eleição. Um pastor evangélico candidato a vereador no município estaria comprando votos com cestas básicas e até com promessas de oração para famílias e ameaças de amaldiçoar que não votasse nele. “O grupo do pastor estava formando listas para oração da família, em troca de dados eleitorais dos fiéis da igreja. Nesta lista, eles ofereciam a benção dos fiéis ou amaldiçoavam o eleitor em caso de negativa no fornecimento de dados eleitorais”, disse o delegado Fábio Araújo Marques, chefe da Polícia Federal em Feira de Santana. Um dos locais onde a PF cumpriu os mandados de busca e apreensão foi a Igreja do Evangelho Quadrangular, onde o pastor é um dos líderes e teria coagido os fiéis. O pastor Pedro obteve 1.839 votos e não foi eleito, ficando com a segunda suplência em seu partido.

- Advertisement -

Serra (ES)

7y563jxt2e_xstxnu2t8_file
ASCOM PF

Em Serra (ES), a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão em um posto de combustível. Quatro pessoas, incluindo o gerente do estabelecimento, foram conduzidas para prestarem esclarecimentos. As investigações apontaram que rotineiramente, veículos com adesivos de candidatos abasteciam com apresentação de “vales”. Investigações preliminares apontam uso de nome “laranjas” nos pagamentos feitos aos postos. Imagens de monitoramento e documentos foram apreendidos.

Muitos dos veículos abastecidos não estão cadastrados na prestação de contas das campanhas.

Almirante Tamandaré (PR)

Em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, mandatos de busca e apreensão foram cumpridos na sexta-feira (30). Os mandatos foram cumpridos no comitê do prefeito Aldinei José Siqueira (PSD), na Câmara Municipal e na casa de dois vereadores, um deles é o presidente da Câmara – José Amauri Lovato. De acordo com a PF, as investigações estão relacionadas a prisão de um dono de posto de combustíveis da cidade que foi autuado em flagrante por suspeita de fornecer gasolina mediante apresentação de “vales” distribuídos por candidatos a eleitores.

Arapiraca (AL)

pf_3
Ascom PF

Em Arapiraca (AL) a Polícia Federal encontrou R$ 9,5 mil e material de campanha dentro de um veículo que estava abandonado em um posto de combustíveis no bairro Eldorado, em Arapiraca, na manhã deste domingo (2). Dentro do veículo também foram encontrados ‘santinhos’ de dois candidatos e recibos e vales de abastecimento dentro do banheiro do posto.

Uma grande movimentação de motoqueiros abastecendo sem dinheiro no posto chamou a atenção de investigadores. O condutor do veículo não foi localizado no estabelecimento.

 

Operação Hidra de Lerna

Foto: Jorge Araújo/Folhapress
Foto: Jorge Araújo/Folhapress

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (04) a Operação Hidra de Lerna, que investiga um grupo criminoso por prática de financiamento ilegal de campanhas políticas na Bahia, esquemas de fraudes em licitações e contratos no Ministério das Cidades. A investigação teve como alvos a construtora OAS, já investigada na Lava Jato, o diretório do PT na Bahia e a empresa de comunicação Propeg, entre outras.

 

 

Bahia Polícia Federal atua no combate a crimes eleitorais

Deixe uma resposta

Relacionadas