Reprodução

Uma jovem foi morta a facadas e suas duas irmãs ficaram feridas, na noite deste sábado (13), em Santos, no litoral de São Paulo. Segundo o G1, a suspeita é uma vizinha da vítima que queria a vaga de emprego de Érica Oliveira da Silva, 24 anos.

Segundo a irmã da vítima, Rafaela Oliveira da Silva, um post no Facebook publicado pela irmã um dia antes do crime, foi feito como uma indireta para a vizinha,  que estava desempregada, o que intensificou as já frequentes brigas. “Minha irmã postou e ela viu. Foi aí que começaram a discutir ainda mais. A Angélica falava muita besteira para ela. Ela tinha inveja do emprego da minha irmã”, afirma Rafaela ao G1.

Reprodução

Na postagem, Érica fez um comentário ofensivo e insinuou que Angélica estaria trabalhando como garota de programa, o que teria causado revolta. “Está passando fome, meu bem? Me fala, que até cedo meu emprego pra você, já que está oferecendo até o corpo, que por sinal é um lixo. Aceita: quem nasceu para ser cachorro, morre latindo”, disse

Érica era assistente administrativa em uma empresa de comercialização de concreto localizada no bairro Monte Cabrão, onde morava. “A assassina estava desempregada e queria a vaga da minha irmã. Sempre que a Érica passava, elas se provocavam. Isso acontecia todos os dias. A postagem acabou piorando a situação e aconteceu o que aconteceu”, explica Rafaela.

 De acordo com a publicação do G1, O crime aconteceu quando três irmãs voltavam para casa quando encontraram com a suspeita, identificada como Angélica da Cruz.  Ela teria começado a provocar Érica, que retrucou e começou o bate-boca. Rafaela, que não se feriu,  contou que o pai, o irmão e o marido da suspeita saíram para ajudar Angélica.

A jovem afirmou que o marido de Angélica teria entregado a faca para a mulher e o pai segurou Érica, enquanto ela era esfaqueada. Rafaela foi a única das irmãs que não ficou ferida e solicitou o socorro.

Érica deu entrada no Pronto Atendimento Médico (PAM) da Rodoviária já sem vida. Débora Oliveira da Silva, de 32 anos, e Daniele Alves de Oliveira, de 27, foram transferidas para o Hospital Santo Amaro em estado grave. Após o crime, Angélica fugiu. Os familiares da suspeita foram até a Delegacia Sede de Santos prestar depoimento sobre o caso e foram liberados.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui