25.6 C
Guanambi
22.2 C
Vitória da Conquista

Torcedor do México imita macaco para escritor brasileiro na Rússia

Aquilo que era apenas rivalidade entre torcedores, tomou proporções inadmissíveis, mais um caso de racismo em estádios de futebol

9,153FãsCurtir
15,413SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
823InscritosInscrever

Últimas Notícias

Mais Lidas

O escritor carioca Raiam Santos, de 28 anos, assistia a partida entre Brasil e México, quando começou uma troca de insultos com torcedores mexicanos. O episódio ocorreu em Samara na Rússia, nesta segunda-feira (2).

Aquilo que era apenas rivalidade entre torcedores, tomou proporções inadmissíveis, mais um caso de racismo em estádios de futebol. Em um vídeo postado no Instagram, Raiam acusa o torcedor mexicano de imitar um macaco e apontar para ele.

Segundo Raiam, as provocações entre as torcidas começaram já nos primeiros minutos da partida. Apesar disso, o clima era de descontração entre o público. Depois do episódio, um amigo do mexicano pediu desculpas e o homem tentou “apaziguar” a situação.

“Eu estava provocando como qualquer torcedor de estádio, de sangue quente, como a gente fez durante o jogo inteiro. Eu mandei o pessoal para a Vila do Chaves ou cheirar cocaína no México. Mas esse cara específico foi diferente. Ele fez sinal de macaco e apontou para mim. Eu peguei o celular rápido e gravei. Toda a torcida estava provocando, mas a atitude dele foi séria”, contou.

- Advertisement -

“A gente continuou discutindo e o amigo dele veio se desculpar. Eu falei ‘você mexeu com o negro errado’ porque eu ia botar na internet. Ele tentou apaziguar, pediu para tirar foto comigo e eu disse que não queria papo”.

Em entrevista ao G1, o escritor disse que sentiu vontade de “sair na mão” com o torcedor do México que fez atos racistas. Raiam disse ainda que não quer ser tratado como vítima por causa do episódio. Ele disse que decidiu publicar na internet o caso para que essas ações não se repitam.

“Eu não sou vítima. Eu levo racismo na esportiva, meu pai sempre disse que para combater o racismo eu tinha que ser o melhor de mim. Eu nunca levantei a bandeira de que eu sou coitadinho. Quando isso acontece, eu viro a cara e continuo em frente. Não quero me promover como uma vítima de racismo, estou usando a situação para que ele se arrependa e outras pessoas pensem antes de ter a mesma atitude”, disse.

Destaques Torcedor do México imita macaco para escritor brasileiro na Rússia

Deixe uma resposta

Relacionadas