Bahia

Barragem de rejeitos da Bamin será três vezes maior do que a barragem de Ceraíma

Publicado por
Tiago Marques
Compartilhado

Tiago Marques | Agência Sertão barragem de rejeitos da bamin

A barragem de rejeitos que a Bamin pretende construir no leito do riacho Pedra de Ferro, localizado na divisa dos municípios de Caetité e Pindaí, terá 180 milhões de metros cúbicos. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da empresa após contato da Agência Sertão. O assunto voltou a ser pautado pela imprensa local e pela população após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho. Até esta quinta-feira (6), 150 mortes foram confirmadas e 182 pessoas estavam desaparecidas.

A título de comparação, a barragem de Ceraíma, usada para armazenamento de água para irrigação e abastecimento, tem capacidade para 58 milhões de metros cúbicos. A barragem da Samarco que se rompeu em Marina em 2015 tinha capacidade para 51 milhões de metros cúbicos e a barragem da Vale no Córrego do Feijão em Brumadinho tinha capacidade para 12 milhões de metros. A barragem da Bamin irá cobrir uma área de cerca de 430 hectares de terra quando estiver em sua capacidade máxima.

Segundo a Bamin, o projeto da Mina Pedra de Ferro já possui todas as licenças necessárias para sua implementação. No entanto, a finalização da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol) é o primeiro passo para a viabilização do projeto. Um depende do outro e o início de extração de minério na mina depende da Fiol para operação. A empresa realizou lavra na mina entre 2013 e 2014 para realização de testes e análises no minério.

Fonte: Cáritas Brasileira

A barragem será instalada em um vale, ao lado da Usina de Beneficiamento, para conter os de rejeitos da operação. A empresa informou que o local foi cuidadosamente escolhido por ser mais adequado, seguro e ideal para a Instalação. “A localização da barragem foi exaustivamente avaliada por estudos e aprovada durante o licenciamento ambiental, sendo amplamente discutida com a sociedade, por meio de oficinas, audiências públicas, palestras, seminários, entre outros”, disse a assessoria.

A empresa também confirmou que pretende construir uma adutora no rio São Francisco, no município de Malhada, para levar a água necessária para o beneficiamento do minério na mina Pedra de Ferro. A estimativa da Bamin é de que a reserva de minério da mina Pedra de Ferro tenha 470 milhões de toneladas. A empresa deve explorar o minério de ferro na mina por 30 anos.

Lago da barragem de Ceraíma fica a cerca de 14 quilômetros do local onde a Bamin pretende construir barragem de rejeito – Imagem: Wind.com

O riacho Pedra de Ferro é um dos afluentes do rio Carnaíba de Dentro, um dos principais formadores do lago da barragem de Ceraíma. A barragem de rejeitos da Bamin vai ser construída a aproximadamente 14 quilômetros do lago. O Ministério Público da Bahia chegou a recomendar que a Bamin não realize a construção da barragem no local.

BAMIN pertence ao Grupo ERG – Eurasian Resources Group. multinacional Cazaquistanesa do ramo de mineração.

Confira o áudio desta notícia

Tiago Marques
Publicado por
Tiago Marques

Notícias recentes

Elza Soares morreu aos 91 anos no rio de Janeiro

A cantora Elza Soares morreu aos 91 anos nesta quinta-feira (20). De acordo com a…

Nota Premiada Bahia premiou quatro consumidores de Jequié e Vitória da Conquista

A campanha de cidadania fiscal Nota Premiada Bahia, do Governo do Estado, acaba de divulgar…

Com vagas em Vitória da Conquista, seleção do IBGE para Censo 2022 encerra inscrições nesta sexta-feira

Terminam nesta sexta-feira (21), às 16h, as inscrições para o processo seletivo do Censo Demográfico…

Matrícula da rede estadual para o ano letivo 2022 inicia na próxima segunda-feira

A matrícula da rede estadual de ensino para o ano letivo 2022 poderá ser realizada…

Policiais Civis da Bahia aprovam lockdown semanal e estado de greve

O Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC) aprovou o estado de greve da categoria,…

Em Juazeiro e Petrolina, rio São Francisco já subiu quase 2,5 metros após maior abertura de comportas em 15 anos

As cidades de Juazeiro, na Bahia, e Petrolina, em Pernambuco, já sentem a cheia do…