Reprodução

Para o governador Rui Costa, as Fábricas de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) da Bahia e de Sergipe estão acima do interesse comercial da Petrobras, detentora das unidades fabris. Este argumento foi apresentado durante encontro de Rui Costa, do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, e dos senadores dos estados com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, na tarde desta quarta-feira (10), em Brasília.

A petroleira anunciou o fechamento das unidades no início de 2018 e, desde então, os estados lutam para a manutenção das operações. “A Fafen é estratégica para o país! Somos um dos maiores do mundo em produção de grãos e proteínas, e, se queremos continuar, nós precisamos investir na produção de fertilizantes”, explicou o governador da Bahia. Isso porque o gás que é utilizado para produção de fertilizantes nitrogenados (químicos) favorece a produção de grãos e proteínas.

Rui afirmou ainda que o Brasil precisa olhar a venda de gás para a produção de fertilizantes e para viabilizar diversas outras indústrias, não apenas como combustível para queimar. “Acho que esta posição fala muito mais forte do que um interesse específico da Petrobras”, disse.

ColaboreSe você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante. Saiba como! .

A defesa dos empregos, da renda, da agricultura e da pecuária, feita pelo governador da Bahia, também refletiu a posição do governador de Sergipe, que reforçou ao ministro a importância de sua pasta intervir definitivamente na situação. Bento Albuquerque, por sua vez, se comprometeu a ajudar.

O senador Jaques Wagner também participou do encontro com o ministro e argumentou que a fábrica é importante para todo o Polo Petroquímico de Camaçari, a economia baiana e do Brasil. “O ministro está totalmente inteirado da questão da Fafen. Tem grupo de trabalho que se empenha para encaminhar um acordo com a Petrobras”, afirmou o senador.

O próximo passo do Governo da Bahia é se reunir com a direção da Petrobras para buscar um desfecho positivo para negociação.

Deixe uma resposta