Reprodução

A cada hora, oito casos de dengue foram notificados na Bahia em 2019, até o dia 31 de maio. Isso é o que mostram dados divulgados nessa terça-feira (4) pela Secretaria estadual de Saúde (Sesab), segundo a qual as notificações seguem em ritmo ascendente.

De 30 de dezembro de 2018 a 31 de maio deste ano, foram 208, 8 notificações por dia, o que dá  oito casos por hora, considerando o total de 31.955 notificações – um aumento de 459,7% em relação às 5.709 notificações do mesmo período de 2018.

Os números fazem com que o estado tenha coeficiente de incidência aproximado de 216 casos de dengue por cada 100 mil habitantes em 320 cidades. Esse coeficiente considera a proporção de casos em relação ao número de habitantes. Segundo o Ministério da Saúde, há 104 cidades em situação de risco de surto de dengue, zika e chikungunya.

Os dados da Sesab apontam também que há 1.095 casos prováveis de chikungunya (coeficiente de incidência de 7 casos/100 mil habitantes) em 121 municípios e 621 casos suspeitos de zika (coeficiente de incidência de 4 casos/100 mil moradores) em 102 cidades. Para chikungunya e zika, houve redução se comparado ao mesmo período do ano passado (52,8% e 24,2%, respectivamente).

De acordo com a Sesab, até o momento foram confirmados, laboratorialmente, 11 mortes por dengue hemorrágica na Bahia, sendo sete em Feira de Santana, duas em Salvador, uma em Candeias e uma em Saubara.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Segundo o Correio*, há ainda outras 12 mortes por suspeita de dengue em investigação (nove em Feira e um caso em Candiba, Pindaí e Rafael Jambeiro). Para chikungunya, os casos confirmados pela Sesab são dois em Feira de Santana e um em Candeias.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui