(Imagem Ilustrativa / Reprodução VG Resíduos)

Na última sexta-feira (23), prefeitos dos municípios pertencentes ao Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Alto Sertão (CDS-Alto Sertão) estiveram reunidos, em Lagoa Real, com o Secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Sérgio Brito.

O encontro teve o objetivo de discutir ações para o gerenciamento conjunto de resíduos sólidos nos municípios consorciados.

Entre as alternativas apresentadas pelo chefe de gabinete da Sedur, Antônio Carlos Dutra, destaca-se a proposta para a elaboração do plano intermunicipal de gestão integrada de resíduos sólidos, visando à estruturação de aterros sanitários através do Consórcio.

A Sedur aposta que esta é a solução mais viável para acabar com lixões de maneira sustentável e econômica.

Veja mais sobre Meio Ambiente

A equipe de Gestão Ambiental Compartilhada (GAC) do CDS-Alto Sertão discutiu ainda sobre a estruturação dos municípios para implementação de seus sistemas de gestão ambiental em termos políticos, técnicos, tecnológicos e operacionais, bem como, planos de normalizações e requerimento, análise prévia, termo de referência, parecer técnico e plano de fiscalização ambiental.

(Foto: Ascom CDS-Alto Sertão)

Estiveram presentes os prefeitos: Pedro Cardoso – Prefeito Anfitrião (Lagoa Real), José Roberto Neves/Beto Maradona – Presidente da Associação dos Municípios da Serra Geral e Bacia do São Francisco (Caculé), Dorival Barbosa do Carmo – Presidente do Consórcio de Saúde (Urandi), Jairo Magalhães (Guanambi), Adalto Prates (Ibiassucê), Reinaldo Góes (Iuiú), Alan Vieira (Riacho de Santana) , (Rio do Antônio), Juscélio Fonseca (Matina), Josielton Muniz (Sebastião Laranjeiras) , Vanderlei Cardoso (Tanque Novo), Ionaldo Prates (Pindaí), Cassia Cerqueira (Mortugaba), José Alves (Rio do Ântônio).

Presidentes das Câmaras de Vereadores e representantes de prefeituras também participaram do encontro em Lagoa Real.

As iniciativas de construção de  soluções consorciadas para o gerenciamento de resíduos sólidos, como a construção de aterros sanitários conjuntos, tem sido incentivadas pelo interior da Bahia.

Um estudo da Sedur aponta que das 417 cidades baianas, apenas 43 possuem aterro sanitário para destinar lixo.

Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo Observatório do Semiárido do Centro Universitário – UniFG, em 2015, os resíduos sólidos dos 13 municípios que integram o CDS-Alto Sertão são destinados aos lixões e aterros controlados sem nenhum tratamento prévio ou manejo adequado, sendo descartados a céu aberto.

Com informações da assessoria de comunicação do CDS-Alto Sertão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui