A Petrobras anunciou a chegada da plataforma de petróleo, P-67, ancorada na Baía de Guanabara, destinada ao Sistema de Produção do Campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos.

A Petrobras conquistou um dos mais importantes prêmios da indústria de petróleo e gás concedido pela edição brasileira da Offshore Technology Conference (OTC Brasil) pelo conjunto de inovações desenvolvidas no teste de longa duração (TLD) do bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos.

A reinjeção de gás durante o TLD é uma das cinco novas tecnologias empregadas para viabilizar a produção de petróleo e gás em Libra. Essas inovações foram cruciais para a empresa ter batido, neste bloco, o recorde de produção média mensal por meio de um único poço offshore [afastado da costa], que chegou a 58 mil barris de óleo equivalente (boe) por dia.

O diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, informou que o projeto de Libra deixa um legado tecnológico para a indústria offshore. “Com o desenvolvimento de soluções inovadoras, não só conseguimos reduzir os custos operacionais, como também aceleramos o ritmo de implantação dos testes de longa duração, essenciais para obter informações do reservatório e da produção. Não há dúvida de que assim como os demais projetos do pré-sal, Libra reúne alta capacidade de geração de valor e potencial transformador para a indústria”, avaliou.

Os reservatórios de Libra apresentam petróleo com características próprias diferentes de outras áreas, como maior quantidade de gás associado e maior presença de gás carbônico, que chega a 44% do gás associado contido no reservatório, além das propriedades comuns ao pré-sal, como colunas de óleo com grandes espessuras e rochas com excelente porosidade.

Oliveira disse que “como não havia cenário semelhante no setor, nossos técnicos e parceiros desenvolveram soluções pioneiras. Inovamos, por exemplo, ao aproveitarmos todo o gás carbônico produzido para aumentarmos a produtividade do reservatório. Ousamos, ainda, quando conduzimos a operação de pré-lançamento das linhas flexíveis com boias no fundo do mar – antes mesmo de contratar as plataformas”, explicou o diretor de Exploração e Produção.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

O prêmio será entregue à companhia no dia 30 de outubro, durante edição brasileira da OTC, no Espaço Sulamerica, no Rio de Janeiro.

Edição: Lílian Beraldo

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui