Reprodução / Prefeitura de Guanambi

A Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra) anunciou, nesta terça-feira (3), a conclusão das obras de reforço da pista do Aeroporto Municipal Isaac Moura Rocha, em Guanambi. Agora, para receber voos comercias, o aeroporto precisa ser certificado e homologado para tal fim junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O investimento foi de cerca de R$ 7 milhões no novo asfalto da pista e do pátio de manobras, além da recuperação do balizamento noturno. Antes disso, o aeroporto ganhou um novo saguão, instalação de combate a incêndios aeroportuários, entre outras melhorias.

A Prefeitura de Guanambi adquiriu os móveis e contratou a Infracea Controle do Espaço Aéreo – Aeroportos e Capacitação Ltda para administrar o terminal. A empresa promove um curso básico de Operações Aeroportuárias nesta semana na cidade. Segundo a Infracea, alguns alunos podem ser aproveitados para trabalhar nas operações do aeroporto.

A conclusão do reforço na pista vai permitir voos comerciais em aeronaves de até 72 passageiros no equipamento aeroviário do município.

A Azul Linhas Áreas firmou compromisso com o Governo do Estado para operar regularmente com voos a partir de Guanambi. A intenção da empresa, a princípio, é fazer a ligação aérea entre Guanambi e Belo Horizonte. A frequência dos voos será definida de acordo com a demanda por passagens.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Outra empresa, a Passaredo, também teria demonstrado interesse em operar voos a partir do aeroporto de Guanambi. Destinos como Salvador e Brasília podem ser implantados com o início das operações comerciais.

O secretário de Infraestrutura Marcus Cavalcanti afirmou que o aeroporto está a um passo de começar a operar comercialmente. “Agora, a próxima etapa é o processo de certificação junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para habilitar o aeroporto de Guanambi a receber aeronaves de aviação regular”, destaca Marcus.

Veja também: quanto devem custar as passagens no aeroporto de Guanambi

Promessa de 2015

O início das operações comerciais no aeroporto de Guanambi foi anunciado pelo Governo do Estado em 2015, época em que foi lançado o Plano Aeroviário Estadual (Pae).

Em março de 2016, foi assinado um convênio para transferir a administração do aeroporto para o Estado. Em abril, foi anunciado que era preciso reforçar o asfalto da pista para que aeronaves maiores pudessem pousar e decolar com segurança.

A obra no entanto não começou à época devido às restrições impostas pelas autoridades aeronáuticas para pousos e decolagens de aeronaves maiores, por conta da constatação de que os morros do entorno do aeroporto seriam obstáculos nacionais que colocariam em risco as operações no local.

Somente em junho de 2018, após a apresentação de um novo Plano Básico Zona de Proteção Aeroportuária, as restrições de pouso e decolagem foram retiradas. O plano prevê a inversão do sentido dos pousos e decolagens.

No mês seguinte, a Seinfra lançou a licitação para contratar a empresa responsável pela obra de reforço da pista.

Em agosto, a Azul Linhas Aéreas apresentou o plano de interiorização de suas rotas a prefeitos de município onde a empresa tem pretensões de operar. Já em fevereiro deste ano, foi divulgada a informação de que a Passaredo também teria interesse na operação.

Em maio, as obras de asfaltamento foram encerradas e o aeroporto foi reaberto para voos particulares.

Em agosto, a Prefeitura de Guanambi concluiu a licitação e contratou a Infracea para administrar o aeroporto.

Nesta semana, foi anunciada a conclusão das obras.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui