O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse hoje (11) que a região que mais preocupa este ano com relação à incidência de dengue, com a chegada do período chuvoso, é o estado da Bahia como porta de entrada da doença no Nordeste.

Segundo dados do ministério divulgados hoje, Minas Gerais e São Paulo concentram as ocorrências de casos de dengue registradas entre 30 de dezembro e 24 de agosto. Mandetta informou que a doença está “claramente” se deslocando do Sudeste e do Centro-Oeste para o Nordeste.

“Quando uma pessoa tem a dengue, ela vacina, ela ganha anticorpos”, disse o ministro, após participar de audiência pública na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. “A movimentação dessa epidemia, ela veio do Sudeste, em relação ao Centro-Oeste e está entrando no Nordeste. Ela interrompe por causa do ritmo das chuvas. Agora, voltam as chuvas. Aquela marcha que estava vindo, a nossa preocupação – lógico que a gente vai ter casos aqui, são populações maiores -, mas a preocupação é que ela está claramente indo em direção ao Nordeste”.

Mandetta reforçou a importância da participação da sociedade e do cidadão no combate à proliferação do mosquito transmissor e destacou que a pasta vai divulgar as ações de conscientização antes do início do verão. Na semana que vem, será lançada a campanha publicitária de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Casos

O Ministério da Saúde informou hoje que, de 30 de dezembro a 24 de agosto, foram registrados 1.439.471 casos de dengue em todo o país. A média é 6.074 casos por dia e representa um aumento de 599,5%, na comparação com 2018. No ano passado, o período somou 205.791 notificações.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Minas Gerais é, até o momento, o estado com o maior número de ocorrências, com um total de 471.165. Um ano antes, os municípios mineiros registravam 23.290 casos.

São Paulo (437.047) aparece em segundo lugar, sendo, ainda, a unidade federativa em que a incidência da doença mais cresceu (3.712%), no intervalo de análise. Em 2018, foram reportados 11.465 casos. Também são destaque negativo no balanço Goiás (108.079 casos), Espírito Santo (59.318) e Bahia (58.956).

Atualmente, a taxa de incidência da dengue no país é 690,4 casos a cada 100 mil habitantes. No total, 591 pacientes com a doença morreram, neste ano, em decorrência de complicações do quadro de saúde.

Recomendações

O ministério aconselha que, durante o período de seca, a população mantenha ações de prevenção, como verificar se existe algum tipo de depósito de água no quintal ou dentro de casa. Outra recomendação é lavar semanalmente, com água e sabão, recipientes como vasilhas de água do animal de estimação e vasos de plantas.

Não deixar que se formem pilhas de lixo ou entulho em locais abertos, como quintais, praças e terrenos baldios é outro ponto importante. Outro hábito que pode fazer diferença é a limpeza regular das calhas, com a devida remoção de folhas que podem se acumular durante o inverno.

Edição: Valéria Aguiar

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui