Reprodução

A extração do pequi vem crescendo em Caetité desde 2016. No ano passado, foram extraídas 145 toneladas do fruto no município. Já a extração de umbu vem caindo nos últimos anos.

A cidade é considerada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), líder da Bahia e 44º município extrator nacional de pequi.

O Brasil foi responsável pela extração de 17.859 toneladas de pequi em 2016; 21.915 toneladas em 2017 e 21.945 toneladas de pequi em 2018.

No município de Caetité, o primeiro registro de extração de pequi pelo IBGE ocorreu em 2016. Naquele ano foram contabilizados apenas 2 toneladas. Já em 2017 e 2018 o município de Caetité saltou para 141 e 145 toneladas do fruto respectivamente.

Já a extração do umbu, teve uma queda considerável. Em 2016 foram extraídas 14 toneladas do fruto, caindo para 3 toneladas em 2017 e permanecendo no mesmo patamar em 2018.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Também houve queda a nível nacional. O fruto característico da região do semiárido teve extração de 8.470 toneladas em 2016 e de 7.765 toneladas em 2018. Uma redução de 8,4%.

Além do pequi e umbu, a cidade também extrai o coquinho do licuri. Desde 2016, há uma queda na exportação – em 2014, 2015 e 2016 foram 5 mil toneladas  e em 2017 e 2018 apenas mil toneladas do fruto, uma redução de 80%.

A extração de piaçava e de umbu têm queda na Bahia, afirma o IBGE

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui