Barragem Mato Grosso mineração
Reprodução

Uma barragem de rejeitos de lavra de ouro se rompeu na manhã desta terça-feira (1º),  no município de Nossa Senhora do Livramento, distante 38 km de Cuiabá, capital do Mato Grosso.

A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Mato Grosso (Sema) e Prefeitura de Nossa Senhora do Livramento.

Com o rompimento, a comunidade de Brejal acabou ficando isolada e teve o fornecimento de energia e serviços de telefonia interrompidos.

Vistoria ANM

Segundo a imprensa local, ao menos dois funcionários ficaram feridos e deram entrada no Hospital Municipal. Uma das vítimas apresentava diversas escoriações pelo corpo, mas nenhuma fratura. O segundo não possuía ferimentos ou fraturas, mas reclamava de tontura e falta de ar.

Ambos foram medicados e já tiveram alta hospitalar. A Sema informou que uma equipe foi verificar a ocorrência. O Corpo de Bombeiros e Defesa Civil do Estado ainda não tem informações.

Em nota, a Sema disse que uma equipe, em conjunto com a Agência Nacional da Mineração (ANM), está no município para avaliar os impactos ambientais ocorridos devido o rompimento da barragem de mineração.

Veja também: Governador diz que barragem da Bamin será “de pedra e com todas as seguranças”

“A Secretaria de Estado Meio Ambiente (Sema) informa que uma equipe, em conjunto com a Agência Nacional da Mineração (ANM), está em Nossa Senhora do Livramento (38km de Cuiabá) para avaliar os impactos ambientais de rompimento de barragem de mineração. O empreendedor comunicou o ocorrido à Sema e aos demais órgãos de controle e relatou que já tomou as primeiras providências, como a construção de diques de contenção”, diz a nota.

Google Maps

A barragem armazenava aproximadamente 600 mil m³ de rocha aurífera e estava classificada como de risco médio, com dano potencial considerado baixo. A barragem TB01 está em nome do empresário Marcelo Massaru Takahashi.

O Estado de Mato Grosso possui 31 barragens de mineração, sendo que 14 delas têm potencial de médio risco e uma delas é classificada como de alto risco. Os dados constam no relatório mais recente publicado em janeiro deste ano, pela Agência Nacional de Mineração (ANM), sobre situações das barragens de minério em todo país.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui