Reprodução

O Engenheiro Agrônomo Paulo Suassuna estará em Caetité nesta quinta-feira (10), para falar das estratégias e tecnologias para o Cultivo Intensivo de Palma no semiárido. O evento será a partir das 8h, no Auditório do Centro Territorial De Educação Profissional do Sertão Produtivo (CETEP).

O evento faz parte do Circuito de Seminários: Tecnologia do Cultivo Intensivo da Palma.  Das 8h às 11h30, acontecerá uma palestra com o tema – “A Tecnologia do Cultivo Intensivo da Palma”.

No turno vespertino, o engenheiro agrônomo abordará os fundamentos da tecnologia do cultivo intensivo da palma e da oportunidade de observar na prática a aplicação dos fundamentos da tecnologia do Cultivo intensivo de Palmas.

Para participar do Circuito de Seminários, os interessados precisam se candidatar no site Sebrae. As vagas são limitadas e não há custo.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

A palma é a cactácea forrageira mais cultivada no mundo, sendo bastante encontrada em regiões com baixa disponibilidade hídrica ou alta variabilidade do regime pluviométrico, onde a produção de outras plantas forrageiras é limitada.

Atualmente, duas espécies de palma forrageira estão sendo cultivadas em maior escala no Brasil: Nopalea cochenillifera Salm. Dyck, com os clones Miúda ou Palma Doce, e IPA Sertânia; e, a Opuntia stricta (Haw.) Haw. com o clone Orelha de Elefante Mexicana.

É uma cultura muito indicada para alimentação animal, é um alimento com fonte de carboidratos, minerais, vitaminas, além de possuir elevada digestibilidade e bastante aceitabilidade pelos rebanhos.

Sabendo dessa importância, o Engenheiro Agrônomo Paulo Suassuna é reconhecido como especialista em palma forrageira do Brasil. Ao logo dos anos, vem desenvolvendo e aprimorado a Tecnologia do Cultivo Intensivo da palma (TCIP). Segundo as suas pesquisas, o objetivo dessas técnicas e tecnologia é minimizar o problema da seca na região do semiárido, como é o caso de Caetité e região.

E para isso, o agrônomo ressalta que é necessário a combinação das técnicas de escolha do terreno, seleção das raquetes, preparo do solo, fertilização, aumento do número de plantas por unidade de área, manejo do pomar e corte sistemático das raquetes. De acordo com o pesquisador, quando utilizadas essas técnicas, é possível atingir produtividades anuais superiores a 400 toneladas por hectare.

Em suas pesquisas relatadas no artigo: A Tecnologia do Cultivo Intensivo da Palma – Aplicada nas Pequenas Propriedades Rurais do Semiárido Brasileiro, Suassuna pontua que mesmo em uma pequena propriedade rural, é possível garantir reserva estratégica de forragem energética suficiente para que os ciclos de seca sejam rompidos, mantendo os rebanhos em perfeitas condições de nutrição resultando na fixação do homem ao campo a fim de melhorar a sua qualidade de vida.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui