Reprodução

Morreu, na manhã desta quinta-feira (17), o diretor da TV Globo Maurício Sherman, um dos criadores do Fantástico. Ele tinha 88 anos. Segundo a família, Sherman morreu em casa, na Zona Sul do Rio.

Sherman contribuiu para diversas emissoras do país. Em várias passagens pela Globo, ajudou a criar o Fantástico e dirigiu programas de humor, como Faça Humor, Não Faça Guerra, Os Trapalhões e vários de Chico Anysio. Além disso, ele foi diretor-executivo da Central Globo de Produção.

Trajetória começou no teatro
Sherman nasceu no dia 21 de janeiro de 1931, em Niterói, Região Metropolitana do RJ, filho de um casal de judeus poloneses. Formou-se em direito na Universidade Federal Fluminense, no fim dos anos 1940.

Aos 13 anos, já participava de peças amadoras apresentadas em um Clube da Colônia Judaica, em Niterói. Em uma dessas ocasiões, foi convidado pelo radialista Hélio Tys para trabalhar como ator na Rádio Mauá, onde estreou em uma representação de “O Corcunda de Notre Dame”.

Em 1951, iniciou sua trajetória na televisão, quando participou de uma representação da Paixão de Cristo na TV Tupi. Maurício Sherman se transferiu para a TV Paulista, canal 5 de São Paulo, em 1952. Na emissora, representou clássicos do teatro e da literatura, como “Rei Lear” e “Hamlet”, de William Shakespeare, e “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Em 1954, passou a trabalhar na TV Tupi do Rio de Janeiro, onde permaneceu por dez anos. Durante este período, atuou no “Sítio do Picapau Amarelo”, nas “Fábulas Animadas” com Júlio Gouvêa e dirigiu um teleteatro com Heloísa Helena.

Depois de uma breve experiência na TV Excelsior, Maurício Sherman foi convidado por Mauro Salles para trabalhar na Globo, em agosto de 1965.

Fantástico
O diretor participou da equipe de criação do Fantástico, em 1973, e foi um dos diretores do programa por três anos. Dirigiu também o Moacyr Franco Show até 1977, quando saiu novamente da emissora para assumir a direção artística da linha de shows da TV Tupi de São Paulo. Retornou à Globo em 1981 e dirigiu Chico Anysio Show e Os Trapalhões por dois anos.

Em 1983, após uma breve passagem pela TV Bandeirantes, Maurício Sherman aceitou o convite de Adolfo Bloch para dirigir a programação da recém-inaugurada TV Manchete. Voltou à Globo em 1988, como diretor executivo da Central Globo de Produção. Nos 12 anos seguintes, desempenhou várias funções: foi diretor de núcleo do horário das 18 horas; diretor do musical Globo de Ouro; diretor artístico do Fantástico; diretor do departamento de Projetos Especiais; e diretor da área de controle de qualidade.

Trabalhos na TV Globo

Humor

  • Riso Sinal Aberto (1966)
  • Bairro Feliz (1966)
  • Faça Humor, Não Faça Guerra (1973)
  • Chico Anysio Show (1981)
  • Os Trapalhões (1981)
  • Zorra Total (1999)

Auditório & Variedades

  • Noite de Gala (1966)
  • Moacyr Franco Show (1977)
  • Video Show (1994) – supervisor
  • Domingão do Faustão (2001)

Musicais

  • Espetáculos Tonelux (1965)
  • Globo de Ouro (1988)

Jornalismo

  • Fantástico (1973)

*Informações são do G1.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui