Barragem do Poço do Magro - Outubro de 2019 - (foto: Thiago Nery)

Depois de longos 192 dias, voltou a chover em Guanambi e em toda a região. A seca intensa agravada nos últimos meses contribuiu para a diminuição significativa das barragens de Ceraíma e Poço do Magro.

Em Guanambi foi registrada chuva de 19 mm na madrugada e manhã desta terça-feira (22). Em algumas localidades, como na região de Guirapá, em Pindaí, os volumes chegaram aos 90 mm.

No entanto, a expectativa é que a disponibilidade de água só comece melhorar no decorrer do mês de dezembro. As previsões para os próximos meses ainda são imprecisas quanto à chuva que deve cair na região.

Somadas, as duas barragens do município tem capacidade de armazenamento de 95 milhões de metros cúbicos. Juntas, elas hoje armazenam 39,4 milhões de metros cúbicos, 41,4% do total.

A situação mais crítica é no Poço do Magro, o reservatório atrofiou depois de tanto tempo sem chuva. Atualmente, segundo a Codevasf, o volume de água armazenada é de 8,458 milhões de metros cúbicos, correspondente a 22,8% da capacidade máxima que é de 37 milhões de metros cúbicos.

Inaugurada em 2005, a barragem já possou por diversas secas. Ela só atingiu sua capacidade máxima uma vez, fato ocorrido em janeiro de 2016.

Água da barragem recuou para longe da margem – (foto: Thiago Nery)

Não existe projeto de irrigação na região da barragem, porém, muita água é retirada do lago todos os dias para abastecer comunidades do entorno e principalmente para atender a demandas da construção civil.

Em dias de maior movimento, até 50 caminhões pipa trabalham retirando água da barragem. Além disso, o lago foi formado em uma região de planície, o que aumenta a superfície de contato da radiação solar e a evaporação natural.

Em Ceraíma a situação é mais tranquila mesmo com a volta da irrigação no perímetro. A última medição registrou volume de 30,96 milhões de metros cúbicos.

(foto: Isac Soares / Agência Sertão)

O volume equivale a 53,3% da capacidade que é de 58 milhões de metros cúbicos.

Em janeiro de 2016, a barragem esteve perto de transbordar. Naquela ocasião, após uma semana de fortes chuvas, a barragem chegou a armazenar cerca de 54 milhões de metros cúbicos, o que equivale a 94% de sua capacidade.

Volume da Barragem de Ceraíma em milhões de metros cúbico – Foto: ANA

Além da irrigação, a água do lago de Ceraíma é usado para complementar o abastecimento do sistema da adutora do algodão. As duas barragens são de responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf).

Veja também: Observatório UniFG criará Centro Integrado em Pesquisas Ecológicas na reserva do Poço do Magro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui