Reprodução

Cerca de 90 estudantes dos cursos de Engenharia de Produção, Engenharia Civil e Engenharia Mecânica foram surpreendidos com a notícia do encerramentos de seus cursos na Faculdade Pitágoras, em Brumado.

Os estudantes foram convocados para uma reunião com a direção da Pitágoras de Brumado na última quarta-feira (8), quando foram surpreendidos com a notícia do encerramento dos três cursos.

Em contato com a Agência Sertão, uma estudante de um dos cursos disse que os alunos foram informados que a direção da unidade afirmou que o grupo gestor da Pitágoras decidiu cancelar os cursos.

“Disseram que a gente tinha que escolha uma opção. Receber o dinheiro de volta ou transferir o curso para a Unopar, na modalidade EaD. Também disseram que poderíamos continuar o curso em outra instituição ou ir para o curso de Direito da Pitágoras com desconto na mensalidade”, disse a estudante.

A estudante disse ainda que nenhuma das opções é viável para os alunos. “Quando a Pitágoras chegou a Brumado fez várias promessas a nós. Abraçamos a instituição e confiamos nela, falaram até se ficasse um aluno somente o curso iria até o final. Nós que moramos em Brumado somos carentes de um curso superior, ainda mais de um curso de Engenharia”, explicou.

Outra estudante afirmou à Agência Sertão acreditar que o encerramento dos cursos daPitágoras está relacionado à falta de interesse da instituição em investir em laboratórios para as aulas práticas. “Agora que as primeiras turmas se encaminham para a metade do curso, os administradores desistiram dos alunos que acreditaram na proposta. Eles acreditam que não é mais viável investir na estrutura de laboratórios que as aulas exigem. Prova disso é que o curso de direito foi mantido, pois as disciplinas não exigem investimentos em laboratórios”, afirmou.

A Pitágoras chegou a Brumado em 2018. Os estudantes que iniciaram os cursos nas primeiras turmas iriam cursar o quinto semestre em 2020, de um total de 10.

A instituição pertence ao grupo Kroton, que também controla outras instituições, como a Unopar, Anhanguera, Uniderp, entre outras. Em Brumado a Pitágoras oferecia os cursos de Engenharia e também o curso de Direito. Os mesmos cursos são ofertados pela instituição em Guanambi desde 2019.

A Agência Sertão entrou em contato com Pitágoras. Em nota, a faculdade informou que a decisão de descontinuidade das engenharias “foi um ajuste pontual no portfólio de cursos ofertados na unidade”.

Para a Pitágoras, o encerramento dos cursos não acarreta “prejuízo aos estudantes matriculados, uma vez que os mesmos poderão dar continuidade aos estudos no ensino superior na modalidade EAD, com grade similar à que estava em andamento com a mesma qualidade e certificação”.

Veja a nota da Pitágoras

A Pitágoras esclarece que a descontinuidade dos cursos de Engenharia Mecânica, Engenharia Civil e Engenharia de Produção na unidade de Brumado foi um ajuste pontual no portfólio de cursos ofertados na unidade, sem prejuízo aos estudantes matriculados, uma vez que os mesmos poderão dar continuidade aos estudos no ensino superior na modalidade EAD, com grade similar à que estava em andamento com a mesma qualidade e certificação.

Seguimos com nosso propósito de levar qualidade de ensino e inovação ao ambiente de aprendizagem e fortalecer os serviços educacionais já prestados com excelência. A Pitágoras reitera seu compromisso com a educação acessível e de qualidade para todos os brasileiros.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui