Foto / Reprodução: Victor Boa Sorte

As temperaturas deverão cair mais cedo em boa parte do Brasil este ano, é o que indica as previsões dos modelos meteorológicos. A expectativa de frio vem depois de um início de ano de chuvas extremas, principalmente no sudeste do país.

Aquelas pessoas mais sensíveis ao frio já deverão buscar o cobertor no guarda-roupas na segunda quinzena do mês de abril.

A previsão é de que o inverno apresente ondas de frio mais cedo, que podem se estender por mais tempo. O oceano Pacífico mais frio nos próximos meses fará a atmosfera apresentar novos sintomas e efeitos.

Além disso, as previsões apontam que a umidade do ar deve ficar mais baixa neste outono e inverno, favorecendo ainda mais a propagação do frio.

No Sul e parte do Sudeste do país, o avanço de massas de ar polar deverá ocorrer mais cedo e de forma mais intensa. No Centro-Oeste e parte do Nordeste, o frio deverá ser intensificado pela formação de sistemas de alta pressão no Oceano Atlântico , impulsionando o avanço dos ventos alísios de sudeste sobre continente, aliados à baixa umidade relativa do ar e pela redução natural de radiação solar no hemisfério sul.

Temperaturas mínimas devem ficar de 1º a 2ºC mais baixas do que a média nas áreas em azul

Para o mês de abril, os modelos meteorológicos apontam anomalia de temperatura abaixo da média histórica para toda a região Sul e parte da região sudeste, além de quase todo interior do Nordeste.

No Centro-Sul Baiano, a previsão indica que deve chover no fim de março e ainda há possibilidade de novos episódios de chuva nas primeiras semana de abril. No entanto, a partir destas chuvas, a tendência é de que o ar seco predomine, levando as temperaturas mínimas abaixo dos 20ºC.

Em maio, as temperaturas mínimas deverão seguir a trajetória de queda, podendo baixar à casa dos 17ºC. A partir de junho, com a proximidade do inverno, as mínimas devem cair à casa dos 15º₢.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui