Os deputados federais aprovaram projeto de lei que suspende, por 60 dias, os pagamentos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), por causa da pandemia do novo coronavírus. O texto permite ainda que o Executivo, por conta própria, prorrogue essa suspensão do pagamento por mais dois meses. A matéria agora segue para o Senado.

A medida vale para alunos com pagamentos em dia ou com atrasos de até seis meses. O texto prevê a suspensão da amortização do saldo devedor; dos juros incidentes sobre o financiamento; da quitação das parcelas de renegociações; e de pagamentos devidos para saldar multas por atraso.

Para obter o benefício, o estudante deve manifestar interesse ao banco no qual ele mantém o financiamento. Um único destaque ao projeto foi aprovado. De autoria do deputado Enio Verri, do PT do Paraná, a medida inclui a possibilidade de desconto para profissionais de saúde financiados pelo Fies que atuem no combate à Covid-19. O abatimento poderá ser mensal, em valor equivalente a 1% do saldo devedor consolidado.

O relator, deputado Moses Rodrigues, do MDB Cearence, ainda revogou o parcelamento atual de débitos antigos e criou um novo. No caso de quitação integral do empréstimo até o dia 31 de dezembro deste ano, haverá redução de 100% dos encargos moratórios. Na atual regra, essa redução é de 50%.

O relator ainda aumentou o total que a União pode repassar para o Fundo Garantidor do Fies, recursos que servem como garantia para os empréstimos.

O projeto que veio do Senado, como sofreu alterações na Câmara, deve voltar para uma nova análise dos senadores.

Via Rádio agência Nacional

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui