Destaque Guanambi
Foto / Reprodução: Victor Boa Sorte

O número de pessoas mortas no Brasil em decorrência da pandemia do coronavírus superou a população inteira do município de Guanambi.

Segundo os dados desta sexta-feira (24) do Ministério da Saúde, desde o início da pandemia, 85.238 pessoas morreram no país pelas complicações da Covid-19. Os 1.116 óbitos confirmado nas 24 horas anteriores fizeram a estática superar a população de Guanambi, que tem 84.441 habitantes segundo a estimativa do Instituto Brasil de Geografia e Estatística (IBGE).

O número também é maior do que a população.de 5.197 dos 5.570 municípios brasileiros e do que toda a população dos 60 menores municípios do país.

O país é o segundo do mundo em número de mortes, atrás apenas dos Estados Unidos, onde 150 mil vidas foram perdidas na pandemia. O Brasil está à frente do Reino Unido, terceiro colocado com mais de 45 mil mortes.

Considerando o número de mortos por grupo de 100 mil habitantes, o país é o 10º mais afetado no momento, com 40,2 mortes por 100 mil habitantes. Bélgica e Reino Unido são os países com maior mortalidade, 84,7 e 67,4 respectivamente.

O Estado Brasileiro com maior número de mortes é São Paulo, mais de 21,2 mil. No entanto, a maior taxa de mortalidade até o momento ocorre no Ceará, 81,3 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes e um total de 7.426.

Ambos os Estados foram os primeiros atingidos pelo coronavírus no país. São Paulo por ser o centro de negócios do país e o Ceará por ser o local de pousos e decolagens de quase 200 voos internacionais por dia, devido à localização de Fortaleza ser favorável para voos para a Europa e Estados Unidos.

A região Norte do País é a mais afetada, com taxa mortalidade de 62,7. Já a região Sul é a menos afetada até o momento, com 13,1 mortes para cada 100 mil habitantes.

O Brasil está há nove semanas com média diária superior a mil mortes por dia, em um cenário de aparente estabilização. No entanto, a semana anterior foi a mais letal desde o início da pandemia, com 7.303 mortes.

Os números apontam que a semana atual pode ser o novo pico da doença. Ainda sem os dados de sábado (25), o Ministério da Saúde contabiliza 6.466 mortes, média de 1.077 por dia nos últimos seis dias.

Em Guanambi, apesar dos danos econômicos e dos 166 casos confirmados, a pandemia não causou prejuízos às vidas humanas. Do total de infectados, 132 já estão livres do vírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui