atcom

O uso da comunicação alternativa ou aumentativa, que faz parte do conjunto de dispositivos, técnicas e processos denominado de Tecnologia Assistiva, tem auxiliado dezenas de jovens da Apae de Guanambi a desenvolver atividades de produção, com foco nos segmentos alimentício, de limpeza e artesanato.

Utilizando esta ferramenta, a entidade desenvolveu o Projeto de Empreendedorismo, com o intuito de capacitar cerca de 40 jovens com deficiência intelectual e múltipla, proporcionando ou ampliando habilidades funcionais e promovendo a inclusão.

Foto: atcom

“A proposta é incluir jovens que tenham o desejo de trabalhar e que ainda não conseguiram emprego no mercado de trabalho por meio de Emprego Apoiado ou pela Lei de Cotas”, afirma Jaqueline Sallenave Andrade, coordenadora estadual de Trabalho, Emprego e Renda da Federação das Apaes do Estado da Bahia – Feapaes/BA.

A Apae de Guanambi utiliza esta técnica de tecnologia assistida para alunos não verbais há dois anos e tem alcançado bons resultados. Segundo a coordenadora, este tipo de comunicação envolve imagens, com o passo a passo de cada ação, permitindo a estas pessoas uma maior autonomia na produção com possibilidade de geração de renda.

O objetivo ainda é desenvolver estratégias que ampliem as possibilidades de o assistido alcançar o processo de inclusão. “Além da possibilidade de terem uma pequena renda, os assistidos gostam de se sentir produtivos, trabalhando em equipe”, ressalta a coordenadora. “Com o dinheiro que recebem os jovens costumam comprar refrigerantes, biscoitos, entre outros itens de consumo próprio. É uma alegria”, conta Jaqueline. Eles também acompanham o fechamento do caixa do projeto, para entenderem o que é custo e o que é lucro.

Foto: atcom

O treinamento aprimora habilidades e resulta na fabricação de diversos produtos, como amendoins caramelizados, molho de pimenta, itens de limpeza e até tapetes e almofadas. “Procuramos identificar a aptidão de cada um. Temos uma equipe de produção e uma de vendas. Cada um faz o que mais gosta dentro desta cadeia produtiva e contam com o apoio da equipe da Apae”, conclui a coordenadora. A Apae Guanambi assiste, atualmente, 129 pessoas com deficiência intelectual.

Via atcom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui