Reprodução

O governador Rui Costa anunciou que foi assinado, na noite da última terça-feira (8), um protocolo de confidencialidade para que a Bahia possa participar da testagem da vacina produzida pela Rússia contra a Covid-19.

A previsão é de que o estado receba 500 doses da vacina tão logo as etapas burocráticas sejam cumpridas.

Segundo o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, o acordo de confidencialidade é um documento no qual o governo da Bahia se compromete a receber informações sigilosas, tratar de forma interna e confidencial e, a partir dos resultados obtidos, decidir pela continuidade ou não da parceria.

O governador destaca que é um protocolo mais formal e com garantias para ambas as partes e que foi enviado para a Embaixada da Rússia. “A nossa expectativa é de que em breve possamos receber as 500 doses da vacina. Serão 250 doses da vacina e mais 250 de placebos. Iremos aplicar essas 500 doses para participar dessa linha de pesquisa da vacina russa. Além disso, continuamos buscando parcerias com outras linhas de pesquisa e acho que os estados devem apoiar essas pesquisas. Acredito inclusive que o Governo Federal deveria estar sendo mais incisivo nessa busca por parcerias e sem nenhum preconceito ideológico ou dogmático com nenhuma nação do mundo”, ponderou Rui.

Para Vilas-Boas as negociações estão avançadas. “Já havíamos assinado o memorando de entendimento para testagem da vacina russa Sputinik V. Após o cumprimento dos ritos necessários e liberação dos órgãos reguladores, acreditamos que em pouco mais de 30 dias poderemos iniciar esse estudo da vacina russa na Bahia”, explicou.

Além disso, o secretário pontuou que o memorando de entendimento assinado prevê que, caso os resultados sejam positivos e a parceria efetivada, o estado da Bahia será o responsável pela comercialização da vacina no Brasil, o que deve ocorrer por meio da Bahiafarma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui