Divulgação / Embasa

A Embasa descobriu uma ligação clandestina em uma fazenda na região na zona rural de Vitória da Conquista, próximo ao município de Belo Campo. Uma tubulação de 50 mm foi instalada irregularmente na adutora da empresa de 300 mm para devia a água.

Eram retirados até 1.800 metros cúbicos por dia, o que em um mês permitiria o furto de água suficiente para abastecer até nove mil residências enquadradas no consumo mínimo de 6 metros cúbicos.

Durante a operação para desativar a irregularidade, os servidores da Embasa contaram com o apoio da Polícia Militar da Bahia. A ligação clandestina foi instalada diretamente na adutora de Belo Campo, afetando o abastecimento da cidade e de localidades rurais de Vitória da Conquista atendidas pela rede.

Divulgação / Embasa

Segundo o gerente regional da Embasa, Joselito Pires, “crimes como este cometidos pelo autor da ilegalidade contribuem para desabastecer as localidades atendidas pela adutora, assim como impactam nos custos operacionais do sistema de abastecimento e consequentemente no valor das contas dos clientes de toda a Bahia”, explica.

A Embasa registrou Boletim de Ocorrência no Distrito de Segurança Pública de Vitória da Conquista e o responsável pela ligação clandestina terá que ressarcir o valor correspondente ao desvio de água realizado nos últimos doze meses, que ainda será calculado, além de pagar multa.

De acordo com Joselito Pires, “a Embasa está intensificando o combate às ligações clandestinas e, por isso, a empresa orienta os responsáveis por imóveis que possuam alguma irregularidade a buscar uma negociação o mais breve possível”, complementou.

A empresa ressaltou que qualquer intervenção na rede com o intuito de furtar água é crime e o infrator está sujeito ao cumprimento das penalidades previstas na legislação vigente. A população pode denunciar sigilosamente as situações de fraude pelo teleatendimento 0800 0555 195.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui