Agência Sertão

Das escolas estaduais do município de Guanambi, com oferta do ensino médio, o Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães atingiu o melhor resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em 2019. Além disso, foi a única instituição estadual no município, com a respectiva oferta de ensino, a alcançar a meta estipulada.

A média só foi menor que a do Instituto Federal Baiano – IF-Baiano campus Guanambi, instituição federal que também oferta o ensino Médio.

Os dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), divulgados na última terça-feira (15). A avaliação mede a qualidade do ensino nas escolas públicas e privadas do país, desde os anos iniciais do Ensino Fundamental, até o último ano do Ensino Médio. O índice é divulgado de dois em dois anos.

Veja os dados

Das cinco escolas estaduais do município, apenas três atenderam os critérios para terem os resultados divulgados. Das três, apenas o Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães atingiu a meta, conquistando o índice 4.8, bem melhor do que os 3.7 atingidos em 2017 e do que a meta de 2019 que era de 3.9.

Ideb das Escolas de Guanambi com oferta dos anos Ensino Médio

Outra instituição que teve bom resultado foi o IF Baiano, de vinculação federal. O índice alcançado foi de 5.8. Esta foi a primeira vez que a instituição participou da avaliação, tendo como meta alcançar 6.0 em 2021.

As duas instituições tiveram resultados superiores aos índices estadual e nacional.

O Ensino Médio tem sido o grande gargalo da educação brasileira. O país registrou índice de 4.2, crescimento de 0.4 pontos em relação a 2017, mas menor do que a meta de 5.0. A Bahia conseguiu melhorar seu índice e saiu da lanterna da qualidade do Ensino Médio, ultrapassando Amapá e Pará, ambos com 3.4, e empatando com o Rio Grande do Norte, com 3.5. Em 2017 o Estado teve índice 3.0.

O município também não atingiu a meta para o Ensino Médio entre as escolas estaduais. As escolas de Guanambi atingiram apenas o 243º lugar no Estado, com índice 3.1, bem abaixo da meta planejada que era de 3.9 em 2019 e também menor do que o índice de 2018, que foi de 3.7.

Ideb

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. O Ideb é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

O Ideb agrega ao enfoque pedagógico das avaliações em larga escala a possibilidade de resultados sintéticos, facilmente assimiláveis, e que permitem traçar metas de qualidade educacional para os sistemas. O índice varia de 0 a 10. A combinação entre fluxo e aprendizagem tem o mérito de equilibrar as duas dimensões: se um sistema de ensino retiver seus alunos para obter resultados de melhor qualidade no Saeb, o fator fluxo será alterado, indicando a necessidade de melhoria do sistema. Se, ao contrário, o sistema apressar a aprovação do aluno sem qualidade, o resultado das avaliações indicará igualmente a necessidade de melhoria do sistema.

O índice também é importante condutor de política pública em prol da qualidade da educação. É a ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade para a educação básica, que tem estabelecido, como meta para 2022, alcançar média 6 – valor que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável ao dos países desenvolvidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui