33.7 C
Guanambi
27.9 C
Vitória da Conquista

Morre oitavo irmão de família de ciganos acusados de matar policiais em Vitória da Conquista

- Advertisement -

Últimas Notícias

- Advertisement -




Na manhã desta sexta-feira (30), um suspeito morreu após confronto com policiais da 34ª CIPM/Brumado e CIPE Sudoeste que estavam em atividade na zona rural de Anagé.

O homem foi identificado como Lindomar Silva, 32 anos. Ele é filho do cigano Rodrigo Silva Matos e irmão de outros sete mortos recentemente.

A família é apontada como autora dos assassinatos de dois policiais militares em José Gonçalves, na zona rural de Vitória da Conquista, no último dia 13.

Segundo a policia, o homem foi socorrido e chegou com vida a unidade de saúde mais próxima, no entanto, não resistiu os ferimentos e morreu. Ainda de acordo a polícia, Lindomar tentava invadir residências, quando foi denunciado por moradores da localidade de Lagoa Grande.

O suspeito estava com um revólver calibre 38, munições e uma faca do tipo peixeira. Além dele, outros três ciganos atacaram com tiros equipes das polícias e com o grupo foi recuperada a pistola do soldado Robson Brito de Matos, roubada após ele ser executado.

Reprodução

Ao todo, dez homens foram acusados de envolvimento da morte dos polícias: um pai – que deu entrada em hospital com ferimentos à bala e já teve a prisão preventiva decretada – e nove filhos. Dois filhos ainda permanecem foragidos e sete já morreram em confronto com a policia.

Um adolescente de 14 anos, foi morto em uma farmácia no centro de Vitória da Conquista, no entanto, a polícia nega envolvimento com o caso.

Na última segunda-feira (26), cinco mulheres e sete crianças de uma família de ciganos de Vitória da Conquista estão sendo acompanhadas pela Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE/BA) e a instituição busca a inserção delas em um programa de proteção a testemunhas.

O motivo são as denúncias de perseguição após o duplo homicídio que vitimou dois policiais. A DPE/BA afirma que a recebeu informações que relataram perseguição por parte de policias militares à comunidade, onde vivem outras famílias de etnia cigana. A demanda foi notificada à Defensoria por meio da Ouvidoria Cidadã. 

Institutos e associações de defesa de etnias ciganas emitiram notas manifestando temor pela perseguição de ciganos inocentes. O assunto também repercutiu nas comunidades de ciganos em outros países da América Latina.

Na semana passada, o secretário nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Paulo Roberto, esteve em Vitória da Conquista se reunindo diretamente com os defensores públicos estaduais José Raimundo e Yana de Araújo, além dos coordenadores do Núcleo de Integração da DPE/BA, Cristina Ulm e Maurício Saporito.




- Advertisement -
- Advertisement -

Relacionadas

Deixe uma resposta

- Advertisement -

Mais Lidas

- Advertisement -