27.8 C
Guanambi
21.9 C
Vitória da Conquista

Bolsonaro deve visitar Caetité em setembro para assinar concessão da Fiol à Bamin

- Advertisement -

Últimas Notícias

Tiago Marqueshttps://agenciasertao.com/
Tiago Marques é redator e editor do site Agência Sertão. Trabalha com produção de conteúdo noticioso para rádio e internet desde 2015.
- Advertisement -




O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve visitar Caetité no início de setembro para assinar o contrato de concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) à Bahia Mineração (Bamin), empresa vencedora com lance único do leilão realizado em abril. A assinatura está prevista para ocorrer no dia 2.

A informação foi divulgada pelo jornalista Levi Vasconcelos, do Jornal A Tarde. Segundo a coluna, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, informou à deputada estadual Ivana Bastos (PSD), e ao deputado federal Charles Fernandes (PSD) que a vontade do presidente é de assinar o contrato em Caetité. Os dois estiveram em audiência no ministério na última semana.

Ainda segundo a coluna, Ivana Bastos disse que o ministro confirmou a licitação para concessão da Fiol II, entre Caetité e Barreiras, para o primeiro semestre do próximo ano.

A Fiol I, entre Ilhéus e Caetité, está com cerca de 75% do seu traçado concluído. As obras estão praticamente paradas desde meados de 2015, consequência da crise econômica e principalmente dos desdobramentos da operação Lava-Jato, que desmantelou parte do setor da construção civil pesada do país devido ao envolvimento de empreiteiras em supostos escândalos de corrupção.

Os 537 quilômetros de extensão do primeiro trecho da Ferrovia e Integração Oeste-Leste (Fiol), foram arrematados pelo valor de outorga de R$ 32,73 milhões. A principal função do trecho será o transporte da produção do minério da mina Pedra de Ferro, em Caetité, até o Porto Sul, complexo portuário que será construído pela Bamin. Com isso, a empresa irá concentrar a exploração do minério, além do transporte ferroviário e naval.

A empresa será responsável por concluir as obras. A concessão é de 35 anos, totalizando R$ 3,3 bilhões de investimentos. Desse total, R$ 1,6 bilhão será utilizado para a finalização do trecho. As primeiras visitas técnicas em conjunto com a Valec foram realizadas para dar início ao processo de transferência dos ativos.

O traçado da Fiol 1 atravessa os municípios de Ilhéus, Uruçuca, Aureliano Leal, Ubaitaba, Gongogi, Itagibá, Itagi, Jequié, Manoel Vitorino, Mirante, Tanhaçu, AracatuBrumado, Livramento de Nossa Senhora, Lagoa Real, Rio do Antônio, Ibiassucê e Caetité.

O segundo trecho, de Caetité a Barreiras, ainda está com menos de 50% de conclusão, com obras em ritmo lento. A operação deste trecho deve facilitar o escoamento de grãos das regiões produtoras da Matopiba.  Já o terceiro e último trecho, de Barreiras a Figueirópolis, no Tocantins, fazendo ligação com a Ferrovia Norte Sul, ainda não saiu do papel.

O Ministério da Infraestrutura afirma que a expectativa é de que o trecho comece a operar em 2025, com previsão de transportar mais de 18 milhões de toneladas de carga, entre grãos e o minério de ferro produzido na região de Caetité. Esse deve dobrar em dez anos, e chegar a marca de 50 milhões de toneladas, em 2035, sendo a maior parte o transporte de minério de ferro.

A operação inicial deve iniciar com 16 locomotivas e mais de 1,4 mil vagões, sendo 1,1 mil deles destinados apenas para o escoamento de minério de ferro. Também dentro do prazo de 10 anos, segundo o Ministério, serão 34 locomotivas e 2,6 mil vagões, em 2035.




- Advertisement -
- Advertisement -

Relacionadas

Deixe uma resposta

- Advertisement -

Mais Lidas

- Advertisement -