22.5 C
Guanambi
17.6 C
Vitória da Conquista

Saiba como é o ATR-72, avião da Azul que vai fazer o voo Guanambi – Belo Horizonte

Mais Lidas

https://materiais.henet.com.br/guanambi

Nesta segunda-feira (20), um avião da Azul Linhas Aéreas vai cortar o céu de Guanambi e pousar pela primeira vez na pista do Aeroporto Municipal Isaac Moura Rocha. A companhia fará quatro voos semanais, saindo sempre às 13h de Belo Horizonte e regressando para o mesmo destino às 15h30, às segundas, quartas, sextas e domingos.

Para o trajeto, a empresa vai disponibilizar um avião do modelo turboélice ATR-72-600. As aeronaves do tipo usadas pela Azul são relativamente novas, com ano de fabricação a partir de 2010. Elas são fabricadas pela empresa Ítalo-Francesa Avions de Transport Régional, que em português significa aeronaves de transporte regional. Atualmente, a AirBus, tradicional fabricante de aviões, é uma das controladoras da ATR.

Como o próprio nome já diz, este tipo de avião é usado para atender à aviação regional, sendo mais eficiente em curtas distâncias e com capacidade para operar em aeroportos onde aviões a jato não são permitidos, pois estre outras características, exigem menor cumprimento de pista

O principio de funcionamento dos aviões turboélice é parecido com dos modelos de motor a jato. O ATR-72 tem capacidade para voar a até 509 km/h (velocidade de cruzeiro) e decola com peso de até 23 mil quilos. A autonomia de voo é de aproximadamente 1.500 quilômetros, suficiente para ir de Belo Horizonte a Guanambi e voltar, pois a distância entre as duas cidades em linha reta é de cerca de 700 quilômetros.

O número 72 significa a capacidade máxima de passageiros, que pode ser de 68 a 72, dependendo da configuração. No caso da Azul, os aviões deste tipo estão configurados para 70 lugares, com quatro fileiras de poltronas divididas por um corredor.

Ele viaja a até 25 mil pés (7.620 metros), mas geralmente não passa de 18 mil, metade da altitude de aviões a jato. Esta limitação de altitude é uma vantagem para viagens de distâncias menores. Por causa disso, neste tipo de aeronave é mais comum a ocorrência de turbulência, pois o voo ocorre perto das formações meteorológicas. Apesar do desconforto e do medo que podem causar, as turbulências são comuns e não comprometem a segurança da viagem.

Ao contrário dos aviões maiores, o ATR não precisa de escadas externas para acesso dos passageiros. A própria porta se transforma em uma escada quando aberta, mais uma vantagem para a aviação regional em relação aos aviões maiores.

Por dentro, apesar de menor, o ATR-72 é parecido com outros aviões usados pela Azul e todo o interior também é pressurizado. O compartimento de bagagens fica na parte da frente, entre a cabine do piloto e os passageiros.

O ATR-72 possui as mesmas tecnologias de navegação dos grandes aviões usados no avião comercial pelo mundo, atendendo aos mesmo critérios de segurança operacional.

Este é o maior avião autorizado a operar no aeroporto de Guanambi. Em fevereiro do ano passado, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) concedeu certificação especial para operação desde modelo, o que viabilizou a chegada da Azul à cidade.

A venda de passagens foi iniciada em 5 de agosto, um mês depois da última visita técnica da equipe da Azul ao aeroporto, que passou por muitas transformações nos últimos anos para estar preparado para operar comercialmente.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas Notícias