30.1 C
Guanambi
24.3 C
Vitória da Conquista

Guanambi realizará campanha de multivacinação de crianças e adolescentes até 15 anos neste sábado

- Advertisement -

Últimas Notícias

- Advertisement -




O ‘Dia D’ para atualizar a caderneta de vacinação das crianças e adolescentes de ate 15 anos, será neste sábado (16), em Guanambi. Segundo a Secretária de Saúde do município, a campanha acontecerá em todas as Unidades Básicas de Saúde de Guanambi.

Para atualizar a caderneta de vacinação, é necessário o responsável levar a caderneta da criança ou adolescente e um documento do menor.

Vacinação de crianças despenca na pandemia e volta às aulas preocupa 

O índice de vacinação de crianças no Brasil, que já vinha registrando queda nos últimos anos, despencou em 2020 durante a pandemia, revelam dados do PNI (Programa Nacional de Imunizações). Embora a meta anual brasileira seja vacinar entre 90% e 95% das crianças com até um ano de vida, esse índice não passou de 61% entre janeiro e julho deste ano.

Em 2015, a média de cobertura das nove principais vacinas indicadas a essa faixa de idade esteve acima da meta: 95,8%. Nos anos seguintes, esse percentual começou a cair. Ficou em 86%, em 2016, e 87% em 2017. Em 2018, subiu para 90%, mas no ano passado a média não passou de 83%.

No ano passado, apenas uma vacina atingiu a meta: a tríplice viral D1, que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola. Já a cobertura da pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e a bactéria haemophilus influenza tipo b) foi a que mais caiu: chegava a 96,3% das crianças em 2015, mas fechou 2019 em 69,6%.

Em 2020, nem uma das nove vacinas analisadas se aproximou da meta. A cobertura mais crítica é da Hepatite B: despencou de 90%, em 2015, para 51% este ano. Segundo o Ministério da Saúde, os dados de coberturas vacinais de 2019 e 2020 “são preliminares”, e só estarão consolidados em 2021.

Em julho, a OMS (Organização Mundial da Saúde) já havia alertado que a pandemia afetou a vacinação em pelo menos 68 países, colocando em risco 80 milhões de bebês. A entidade citou Brasil, Venezuela, Bolívia e Haiti como exemplos de países na América Latina em que a imunização vem caindo nos últimos anos.

Segundo o UOL, quando a vacinação está abaixo da meta, cresce o risco de retorno de doenças já erradicadas, como aconteceu ao sarampo em 2018, quando cerca de 10 mil casos foram registrados no país. Até o final de agosto de 2020, o país tinha 7.800 casos confirmados da doença.




- Advertisement -
- Advertisement -

Relacionadas

Deixe uma resposta

- Advertisement -

Mais Lidas

- Advertisement -