Conquista e Região

Bancários de Vitória da Conquista reivindicam melhores condições de trabalho no BB e na Caixa

Publicado por
Tiago Marques
Compartilhado

O Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região realizou uma manifestação no Centro de Vitória da Conquista contra o que eles classificaram como sucateamento do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

O ato foi realizado na manhã da última terça-feira (7) e fez parte do Dia Nacional de Luta em Defesa dos Bancos Públicos e de seus Empregados, que aconteceu simultaneamente em diversas cidades do país e nas redes sociais.

De acordo com o sindicato, as trabalhadoras e trabalhadores do BB e da CEF exigem melhores condições de trabalho, o fim de metas abusivas e do assédio institucional, além de mais contratações para reduzir a sobrecarga de trabalho e melhorar o atendimento à população.

A entidade ressalta que nos últimos anos, tanto a Caixa quanto o Banco do Brasil vêm sofrendo com o corte dos postos de trabalho, o fechamento de agências e a venda de áreas importantes – e altamente lucrativas – para a iniciativa privada, o que vem prejudicando o atendimento diário à população, mas sobretudo a atuação dos bancos como um todo.

"A CEF, que é um banco 100% público, tem sido alvo do projeto entreguista do governo, que articula a privatização das loterias e quer abrir o capital do banco. Com um déficit de cerca de 20 mil funcionários, os trabalhadores que estão na ativa são submetidos à sobrecarga de trabalho e a metas abusivas. Já a atual gestão do BB deu início, em 2017, a mais um plano de desmonte da instituição, chamado de “reestruturação”, com o fechamento de mais de 360 unidades, o desligamento de 7 mil funcionários por meio de PDVs e a venda de subsidiárias", diz nota do sindicato.

“O Banco do Brasil e a Caixa são patrimônios dos brasileiros e ferramentas essenciais para disponibilização de programas sociais e fornecimento de crédito. É importante que a população saiba que as políticas de demissões que são impostas nesses bancos trazem como resultado a precarização do atendimento, com cada vez mais tempo de espera nas filas. Para a categoria bancária, a consequência é o aumento da sobrecarga de trabalho, das metas e, por consequência, do adoecimento físico e mental. Precisamos unir forças para cobrar dos bancos e do governo a contratação de mais funcionários e o respeito aos direitos dos consumidores das instituições financeiras”, considera Leonardo Viana, presidente do Sindicato dos Bancários.

Tiago Marques
Publicado por
Tiago Marques

Notícias recentes

SSP-BA aponta redução de 64% de Mortes Violentas em Vitória da Conquista

A cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, apresentou redução de 64% nas…

Suspeito de esfaquear cobrador em Vitória da Conquista foi preso

O suspeito de ter esfaqueado um cobrador de ônibus em Vitória da Conquista foi preso…

Editais abertos na Bahia financiam cerca de R$ 50 milhões para projetos em diversas áreas

As áreas de ciência, tecnologia e inovação (CTI) são fundamentais para o desenvolvimento econômico do…

Uneb divulga edital do Vestibular 2022.2

A Universidade do Estado da Bahia lançou hoje (25) os editais de inscrição e para solicitação de isenção…

R$ 40 mil são recuperados pela Polícia Militar em Barreiras

A 83ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) recuperou 40 mil reais furtados de banco…

Municípios do Oeste baiano recebem investimento na segurança pública

O Governo do Estado tem implementados estruturas para melhorar a segurança na região Oeste da…