14.5 C
Guanambi
10.8 C
Vitória da Conquista

Meteorologia prevê volta da chuva na Bacia do rio São Francisco nos próximos dias

spot_img
- Advertisement -

Últimas Notícias

Tiago Marqueshttps://agenciasertao.com/
Tiago Marques é redator e editor do site Agência Sertão. Trabalha com produção de conteúdo noticioso para rádio e internet desde 2015.
- Advertisement -

Deve voltar a chover a partir deste fim de semana de forma significativa em boa parte da Bacia Hidrográfica do rio São Francisco, principalmente em Minas Gerais, onde estão as nascentes dos principais afluentes. A formação de uma nova Zona de Convergência do Atlântico Sul será responsável por interromper a estiagem depois de semanas chuvosas em dezembro e início de janeiro.

Nesta sexta-feira (28), o nível do rio permaneceu estável na divisa de Minas com a Bahia. Nas últimas semanas, ele atingiu a maior vazão afluente registrada em quase 60 anos da conclusão da barragem da hidroelétrica de Três Marias, que chegou a 94% de seu volume útil e precisou abrir as comportas, retornando a 90% para deixar espaço para absolver as próximas chuvas. A partir de segunda-feira (31), as comportas serão fechadas gradativamente.

No municípios à jusante da barragem, o nível é o maior desde 2007 e o pico da cheia acabou de chegar na Bahia, após as águas avançarem lentamente sobre a parte baixa da cidade de Manga, última mineira banhada pelo Velho Chico. A cota permaneceu estável em 9,50 metros (m) nas últimas 24 horas e deve começar a diminuir nos próximos dias e seguir em ligeira elevação na Bahia, até Sobradinho, onde o reservatório da hidroelétrica chegou a 67,5% nesta quinta-feira (27).

Desta vez, segundo as informações dos modelos meteorológicos e institutos de meteorologia, as chuvas serão concentradas com maior intensidade nos municípios mineiros, principalmente à jusante de Três Marias e nas cabeceiras do rio das Velhas.

Em cidades como Arcos, Bambuí, Lagoa da Prata, Luz, Bom Despacho, Nova Serrana, Divinópolis, Pitangui e Pará de Minas, nas cabeceiras do São Francisco, os volumes acumulados em dez dias podem podem variar entre 130 mm e 180 mm.

Nos municípios das vertentes do rio Paraopeba, como Brumadinho, Betim e Sete Lagoas, os acumulados devem ficar entre 110 e 150 mm, enquanto Belo Horizonte, Itabirito e Ouro Preto e demais municípios do rio das Velhas devem registrar entre 120 e 140 mm.

Previsão de 28 de janeiro a 7 de fevereiro – GFS

Também há previsão de chuvas em volumes semelhantes em parte da região Noroeste, como João Pinheiro e Paracatu, com volumes entre 110 e 140 mm. Nas regiões de Buritis, Arinos e Chapada Gaúcha, a previsão é de precipitação de 80 a 110 mm.

Nas demais áreas, como a Região Central Mineira e Norte de Minas, os volumes esperados são um pouco menores de acordo com as previsões de momento, variando de 70 a 110 mm, desde Pirapora até a divisa com a Bahia.

Previsão de 28 de janeiro a 7 de fevereiro – ECNWF

Os volumes de chuva devem ser significativos nas bacias dos rios Parnaíba, Paraíba do Sul e Doce, com volumes também na casa de 150 mm nas principais cidade.

Nos municípios baianos da bacia, as chuvas devem ser mais concentradas nas cabeceiras dos rios Carinhanha, Corrente e Grande, com volumes entre 40 e 80 mm em Cocos, Luís Eduardo Magalhães e Barreiras, e inferiores a 50 mm no leito do rio, em Bom Jesus da Lapa, Carinhanha e Malhada, e na vertente da margem esquerda, como em Caetité e  Guanambi.

Do reservatório da hidroelétrica de Sobradinho até a foz, na divisa de Alagoas com Sergipe, as previsões apontam volumes inferiores a 30 mm nos próximos 10 dias.

Controle de Cheia

O controle de cheia no rio São Francisco é feito pelas estatais Cemig, responsável pela Hidroelétrica de Três Marias, em Minas, e pela Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), operador da Hidroelétrica de Sobradinho. Desde o dia 12, após os reservatórios começarem a aumentar rapidamente por conta das cheias, iniciou-se o processo de abertura de comportas de forma gradual.

Apesar de muitas comunidades ribeirinhas serem afetadas com a cheia e com as inundações das lavouras, o rio não avançou de forma significativa sobre nenhuma cidade. Enquanto os afluentes como os rios Abaeté, das Velhas, Paracatu, Urucuia e Verde Grande escovar suas cheias, parte da água ficou retida em Três Marias e só foi liberada após o reservatório chegar próximo de sua capacidade.

Desta vez, embora as chuvas esperadas sejam menos significativas em algumas regiões, o rio que continua acima da cota de inundação em muitas cidades pode voltar a subir nas próximas semanas se os volumes esperados realmente se concretizarem.

Atualmente, Três Marias opera com defluência de 3.000 metros cúbicos por segundo (m³/s). A afluência que superou 9.200 m³/s caiu para menos de 1.700 m³/s, mas deve voltar a subir com a volta das chuvas e o volume deve voltar a subir com o fechamento de comportas.

Em Sobradinho, a vazão vai permanecer em 4.000 m³/s pelo menos até terça-feira (1º), quando será feita uma nova avaliação.

O rio São Francisco recebe somente em Minas Gerais as águas das chuvas de 240 municípios. Na Bahia são 115, em Pernambuco 69, 50 de Alagoas e 28 de Sergipe. O rio São Francisco também recebe águas de três municípios de Goiás, dois do Ceará e de parte do Distrito Federal.

Acompanhe as últimas matérias da cobertura da Agência Sertão da cheia no rio São Francisco:

Nível do rio São Francisco chega no maior patamar nas primeiras cidades da Bahia

Vídeo mostra balsa lotada iniciando travessia no rio São Francisco em Minas Gerais

Governo Federal reconheceu situação de emergência em Carinhanha e São Felix do Coribe

Chesf segurança para impedir entrada de pessoas em áreas de risco da Barragem de Sobradinho

Águas do rio São Francisco avançam lentamente pelas ruas da última cidade em Minas Gerais

Pico da cheia no rio São Francisco vai chegar à Bahia nos próximos três dias

- Advertisement -
- Advertisement -

Relacionadas

Deixe uma resposta

- Advertisement -

Mais Lidas

- Advertisement -