17.6 C
Guanambi
16.1 C
Vitória da Conquista

Justiça de Vitória da Conquista ouve testemunhas do caso Sashira Camilly

spot_img
- Advertisement -

Últimas Notícias

- Advertisement -

A audiência de instrução sobre o feminicídio de Camilly Sashira aconteceu nesta quinta-feira (17) e continua nesta sexta-feira (18), no Fórum João Mangabeira, em Vitória da Conquista. A jovem de 19 anos foi assassinada em setembro de 2021 pelo o ex-namorado e outros dois colegas.

Os acusados confessaram o crime e estão preso preventivamente no Conjunto Penal de Vitória da Conquista.

Na audiência de instrução nesta quinta, as testemunhas de acusação, familiares e amigos foram ouvidos. Nesta sexta-feira será a vez das testemunhas de defesa.

O corpo de Sashira foi encontrado no município de Planalto, próximo a Vitória da Conquista, no dia 19 de setembro do ano passado. Na época, a jovem estava desaparecida e os familiares realizavam buscas para encontrá-la.

De acordo com a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), antes mesmo da família registrar o desaparecimento, o jovem procurou a o Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) acompanhado de um advogado ainda durante a noite e confessou o crime.

O Deam foi acionado pelo delegado plantonista e nas primeiras horas do dia os dois colegas que participaram do crime foram localizados  - Marcos Vinícius Fernandes e Felipe Gusmão. Um deles levou os policiais até o município de Planalto, onde o corpo foi deixado.

A delegada informou ainda que Sashira foi até o local onde foi morta em seu próprio carro, levado pelo ex-namorado. No local, ela foi dopada com remédios por ele e esfaqueada em seguida.

O segundo envolvido foi responsável por terminar de matá-la e desovar o corpo. O terceiro acusado é apontado como o interlocutor que aproximou os dois primeiros. Os dois ajudaram no crime pois tinham o interesse de vender o carro da vítima. Eles têm entre 19 e 22 anos e estudam na mesma faculdade.

Ainda segundo a polícia, Rafael já teria agredido a jovem quando ela tinha 17 anos. Na época, o caso foi registrado no Núcleo da Criança e do Adolescente e uma medida protetiva foi emitida. Porém, não estava mais em vigor quando o crime aconteceu.

Na época da denúncia, o ex-namorado foi levado para outra cidade pela família. Com o fim das medida, se reaproximou da vítima já em conluio com os dois outros acusados de participar no crime.

O caso chocou toda a cidade, a família e amigos e todos perdem justiça nas redes sociais.

- Advertisement -
- Advertisement -

Relacionadas

Deixe uma resposta

- Advertisement -

Mais Lidas

- Advertisement -