19.5 C
Guanambi
16 C
Vitória da Conquista

Governo da Bahia deve processar Chesf por danos em cidades alagadas

Mais Lidas

https://materiais.henet.com.br/guanambi

O governador Rui Costa (PT) esteve na manhã desta sexta-feira (30) no município de Jequié para inaugurar a ampliação do Hospital Geral Prado Valadares.

Foram entregues mais 97 leitos, com um investimento do Governo do Estado, através da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), de mais de R$ 57,3 milhões, somente nesta etapa, sendo mais de R$ 53,2 milhões destinados às obras físicas e R$ 3,7 milhões para equipamentos e mobiliários.

Aproveitando a oportunidade, o governador em seu discurso informou que uma ‘barbeirada’ operacional aconteceu na Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), provocando estragos, tanto na cidade de Jequié, quanto em outros municípios da região.

“Nós temos em mãos uma grande barbeirada operacional da Chesf que não fez adequadamente o que era de sua obrigação e da sua competência. Cabe a Chesf que tem controle da barragem fazer o monitoramento da bacia hidrográfica. Isso significa controlar o índice pluviométrico de todas as cidades, riachos, rios que contribuem para esta barragem. Se multiplicou por 3, a vazão em menos de 24h, liberando o volume de água quase equivalente a vazão do Rio São Francisco e a consequência de tudo isso aí, nós vimos. Prejuízos enormes para os moradores, para comerciantes, e é bom deixar claro que não sou engenheiro da área, mas já atuei na indústria, e também percebi que havia erro operacional”, afirmou.

Ainda em seu discurso, Rui Costa afirmou que o governo do estado, entrará com uma ação contra a Chesf. A informação foi divulgada pelo repórter Ney Silva, do site Acorda Cidade.

“Quero comunicar ao povo de Jequié e de todas as cidades atingidas, que hoje nós protocolamos uma ação do governo do Estado contra Chesf cobrando o ressarcimento do prejuízo das pessoas, dos comerciantes e das famílias. Quando você tem um equipamento de alto risco como este em suas mãos, você tem que agir redobrando a segurança, e repito, como eu trabalhei em indústria, áreas muito sensíveis, você chega a ter a bomba 1, se tiver problema você tem a bomba 2, e se persistir, você tem que ter a bomba 3. Portanto, não é admissível essa qualidade operacional, é uma barragem tão grande de tamanha importância como esta, então eu quero prestar solidariedade e dizer da providência judicial que nós tivemos”, concluiu.

Cheia histórica

O rio de Contas registrou uma das maiores cheias de sua história na última semana. De acordo com a Chesf, o reservatório da Usina Hidroelétrica da Pedra, localizada em Jequié, teve afluência média 3.100 metros cúbicos por segundo (m³/s) no último domingo, dia 25.

Em três dias, o volume útil saltou de 65% para 93%. Por conta disso, as comportas precisaram ser abertas para evitar o transbordo total do rio. O procedimento no entanto causou alagamentos. As cidades de Jequié e Ipiaú foram as mais afetadas.

De acordo com os dados da Chesf, a defluência, ou seja, volume de água liberado pela hidroelétrica, saltou de 95 m³/s na ultima quinta-feira (22) para 190 m³/s na sexta-feira (23). No sábado (24), a defluência média foi de 700 m³/s e no domingo chegou a 1.850 m³/s, com liberação superior a 2.000 m³/s em alguns momentos.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas Notícias