22 C
Guanambi
19.4 C
Vitória da Conquista

Inmet e Inpe divulgaram prognóstico climático para o verão 2023/2024 em todo o país

Mais Lidas

O verão no Hemisfério Sul terá início nesta sexta-feira, dia 22 de dezembro, à 0h27, e vai até o dia o dia 20 de março de 2024, à 0h06. A estação vai suceder uma primavera bastante atípica, com chuvas excessivas no Sul, estiagens no Norte e Nordeste, e calor intenso em boa parte do país.

Nesta quarta-feira (20), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe) divulgaram o prognóstico climático para todo o país neste período.  A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) também contribuiu para a elaboração da previsão.

Veja também: Confira quais cidades da Bahia registraram os maiores volumes de chuva nesta quarta-feira

Embora outros fatores sejam determinantes para influenciar as condições climáticas no Brasil, o monitoramento do El Niño continua exigindo atenção na avaliação dos órgãos devido à sua intensidade.

Segundo o APEC Climate Center (APCC), centro de pesquisa sediado na Coréia do Sul, existe a probabilidade entre 80% e 90% de que as condições permaneçam até o trimestre março/abril/maio de 2024. Já no trimestre abril/maio/junho de 2024, a probabilidade diminui para 60%, indicando um ligeiro enfraquecimento do fenômeno.

A regularidade das chuvas durante o verão é fundamental no Brasil para a economia, pois impacta na produtividade do setor da agropecuária e na geração de energia por meio de hidrelétricas, além da reposição hídrica e manutenção dos reservatórios de abastecimento de água em níveis satisfatórios.

Veja a previsão por região para o Verão 2023/2024 no Brasil:

previsão de chuvas Verão 2023-2024 Brasil
Previsão de anomalias de (a) precipitação (chuva) e (b) temperatura média do ar para o trimestre janeiro, fevereiro e março/2024, elaborada pelo Inmet em conjunto com o CPTEC/Inpe e Funceme.

Região Norte

A previsão climática, realizada pelo Inmet, CPTEC-Inpe e Funceme, para os meses de janeiro a março de 2024 indica condições favoráveis para o predomínio de chuva abaixo da média climatológica (média histórica) em grande parte da Região Norte devido à atuação do fenômeno El Niño. Já nos estados do Acre, Roraima, Amapá e sudoeste do Amazonas, a previsão indica condições favoráveis para chuva próxima ou acima da média no trimestre.

A temperatura média do ar deve prevalecer acima da climatologia em praticamente toda a região, com valores podendo atingir patamares em torno de 10ºC acima da média histórica.

Região Nordeste

A previsão climática indica condições favoráveis para chuva próxima ou abaixo da climatologia, principalmente no centro-norte da Região Nordeste, nos meses de janeiro a março/2024. Assim como na Região Norte, a continuidade da chuva mais irregular nestas áreas está associada aos impactos do El Niño. Vale ressaltar que o padrão de águas mais aquecidas no Atlântico Sul pode favorecer a ocorrência de chuva mais volumosa no centro-sul da região.

São previstos valores de temperatura do ar acima da média histórica em grande parte da região nos próximos meses, principalmente no Maranhão e Piauí. Entretanto, as temperaturas podem ficar mais amenas na costa em razão de alguns dias com chuva

Região Centro-Oeste

A tendência para o verão é de chuva próxima ou acima da média histórica em praticamente toda a região, exceto no oeste de Mato Grosso, onde são previstos totais de chuva ligeiramente abaixo da climatologia do trimestre. Quanto às temperaturas, a previsão indica predomínio de valores acima da média climatológica nos próximos meses.

Região Sudeste

Para a Região Sudeste, a previsão para os próximos três meses indica condições favoráveis para chuva acima da climatologia, principalmente em Minas Gerais, onde a chuva pode ser mais frequente. Para a temperatura, as previsões indicam valores acima da climatologia.
Região Sul

Região Sul

A previsão indica maior probabilidade de chuva acima da média no sul do Rio Grande do Sul. Nas demais áreas, são previstas chuvas irregulares, com totais podendo atingir valores próximos ou ligeiramente abaixo da climatologia (figura 3a). As temperaturas devem ficar próximas ou ligeiramente acima da climatologia.

Verão no Brasil

Mapa de chuva para o trimestre janeiro/fevereiro/março. Período de referência: 1981 – 2010

O verão é marcado pela elevação da temperatura em todo o Brasil devido à posição da Terra em relação ao Sol mais ao sul, tornando os dias mais longos do que as noites e provocando rápidas mudanças nas condições do tempo. Portanto, há condição favorável para chuva forte, queda de granizo, vento de intensidade moderada a forte e descargas elétricas.

Vale ressaltar que, neste período, é comum a ocorrência de chuva em praticamente todo o País, com exceção do extremo sul do Rio Grande do Sul, nordeste de Roraima e leste do Nordeste, onde os volumes totais de chuva costumam ser inferiores a 400 milímetros (mm).

Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a chuva é provocada, principalmente, pela atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Já no norte das regiões Nordeste e Norte, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) é o principal sistema responsável pelo período chuvoso.

Em média, os maiores volumes de chuva podem ser observados nas regiões Norte e Centro-Oeste, com acumulados entre 700 mm e 1.100 mm, como mostra o mapa abaixo.

Confira o prognóstico completo do Verão 2023/2024

Assista o vídeo do Inmet sobre a chegada do verão

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas