22.2 C
Guanambi
18.3 C
Vitória da Conquista

Locomotiva, vagões, trilhos e dormentes do Sistema de Trens do Subúrbio de Salvador não receberam lances em leilão

Mais Lidas

O Governo da Bahia não conseguiu se desfazer dos trilhos, dormentes, vagões e da locomotiva do Sistema de Trens do Subúrbio de Salvador, colocados em um leilão promovido pela Secretaria de Administração do Estado da Bahia (Saeb), encerrado na última semana.

Os lances mínimos dos 52 lotes somavam cerca de R$ 9 milhões, no entanto, apenas dois lotes foram arrematados. Os bancos ferroviários foram vendidos por R$ 525, e um lote de trilhos com 54 toneladas saiu por R$ 128,5 mil.

Os lotes somavam mais de três mil toneladas de trilhos, cerca de 3,6 mil dormentes de madeira, uma locomotiva GE 500, dois vagões de passageiros, pranchas e os bancos ferroviários. A locomotiva tinha preço inicial de R$ 900 mil e os vagões de R$ 97 mil.

O Sistema de Trens do Subúrbio de Salvador foi desativado pelo governo estadual em 2021. No trajeto da antiga ferrovia, o governo pretende construir um sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Após o contrato com um consórcio chinês para realização da obra ter sido encerrado no ano passado sem que as obras fossem iniciadas, um novo processo licitatório está em andamento.

Veículos e outros materiais

Além dos materiais ferroviários, o leilão possuía outros 180 lotes de veículos, móveis, materiais elétricos, equipamentos eletrônicos e outros. A arrecadação com os arremates foi de R$ 4,2 milhões. A execução ficou a cargo da Cravo Leilões e o certame continha lotes com lance inicial que variavam de R$ 200,00 até R$ 1,1 milhão. Os lotes estavam depositados em Barreiras, Guanambi, Salvador e Simões Filho.

O leiloeiro oficial Viriato Domingues Cravo foi escolhido por sorteio para comandar o certame. O Leilão foi do tipo maior lance ou oferta, ou seja, arrematou o lote, o licitante que ofereceu o valor mais alto.

Os interessados também puderam fazer ofertas ou lances de forma antecipada, no ambiente virtual, 10 dias antes da sessão pública, sem prejuízo dos lances ofertados no dia e horário marcados para o início do certame. Os licitantes vencedores tiveram que pagar o valor do lote à vista. Também pagaram 5% sobre o valor da arrematação, a título de comissão ao leiloeiro.

De acordo com o Governo do Estado, os bens públicos leiloados não estavam mais sendo utilizados pelos órgãos públicos ou extrapolaram o prazo máximo de utilização, estabelecido pela legislação, como no caso dos veículos. A receita obtida com o Leilão será recolhida ao Tesouro Estadual e utilizada para novos investimentos do Governo do Estado.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas