19.3 C
Guanambi
15.8 C
Vitória da Conquista

Assentados de Serra do Ramalho produzem tilápias em Sistema de Recirculação em Aquicultura

Mais Lidas

Nesta terça-feira (23) a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), informou que os assentados e assentadas da reforma agrária de Serra do Ramalho, no território Velho Chico, estão com a expectativa em alta para a comercialização de tilápias criadas por meio do Sistema de Recirculação em Aquicultura (RAS) instalado na comunidade ribeirinha de Capão Preto.

De acordo com a Companhia, no primeiro ciclo, 700 quilos de peixes foram produzidos de forma sustentável, graças aos investimentos realizados pela CAR, na construção de seis tanques de 50 mil litros, um tanque de decantação de 180 mil litros e equipamentos diversos, que possibilitaram a produção de alevinos de tilápia com redução do consumo e melhoria na qualidade da água.

O uso do Sistema RAS possibilitou um novo olhar dos pescadores e pescadoras artesanais sobre a piscicultura, como destaca a assentada Maria Lucia Neres. “Antes, a gente realizava a pesca aleatória para o consumo das famílias, sem qualquer controle nas condições da espécie. Agora, com fé em Deus, teremos lucro no fornecimento ao mercado para ajudar muitas famílias”, comenta Maria.

Neste segundo ciclo de produção, a previsão de retirada é de cinco a seis mil peixes até junho, o que deixa otimistas pescadores como Luiz Carlos Moreira, tesoureiro da Associação dos Produtores Rurais de Capão Preto, Caldeirão e região. “Nós recebemos 20 mil alevinos e a nossa expectativa é terminar o ano com a venda de 8 a 10 mil quilos. O sistema é bom porque nós conseguimos colocar mais peixes por metro cúbico e não precisamos de muita água para mantê-lo”, comentou Luiz.

Além da redução no consumo de água, o sistema permite a produção do pescado durante todo o ano, sem interferência da sazonalidade, e evita a contaminação do ambiente pela filtragem dos resíduos. Outra prática sustentável do sistema é a utilização de energia solar, que está em fase de instalação no local, o que vai promover ainda mais economia e sustentabilidade para agricultores e agricultoras familiares do assentamento.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas