20.4 C
Guanambi
14.2 C
Vitória da Conquista

Inmet divulgou Boletim Agroclimatológico dos meses de maio, junho e julho

Mais Lidas

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgou nesta segunda-feira, 13 de maio, o Boletim Agroclimatológico Mensal. Também foi divulgada a previsão do tempo para as próximas duas semanas.

O documento apresenta a análise das condições climáticas observadas no Brasil em abril de 2024, bem como as condições oceânicas observadas e suas tendências e o Prognóstico Agroclimático para o período: maio, junho e julho de 2024.

Para a Região Nordeste, a previsão por conjunto indica chuvas acima da média climatológica no norte e leste da região, principalmente nos meses de maio e junho.

É importante destacar que podem ocorrer eventos de chuvas volumosas nestas áreas, devido ao aquecimento do Atlântico Tropical e distúrbios ondulatórios de leste, muito comuns nesta época do ano.

Já no interior da região, a previsão indica chuvas próximas ou abaixo da média, principalmente na parte central da Bahia e sul do Piauí. Ressalta-se que nos próximos meses tem-se o início do período chuvoso no leste da Região Nordeste (Zona da Mata e Agreste), enquanto que no interior inicia-se o período seco.

Quanto a temperatura do ar, deve ser acima da média histórica em todo o seu território, mas principalmente no interior da região, por conta da redução das chuvas a partir de maio/2024.

A previsão para os próximos três meses indica níveis de água no solo elevados no norte do Maranhão, Piauí, Ceará e costa leste do Nordeste. Nas demais áreas, a previsão indica uma redução dos níveis de umidade no solo, principalmente no sudeste do Piauí, norte da Bahia, sul do Ceará e oeste de Pernambuco.

El Niño

Em relação ao El Niño-Oscilação Sul (Enos), no Oceano Pacífico Equatorial, durante o mês de abril, o Oceano Atlântico Tropical permaneceu mais quente que o normal, em que tanto a temperatura do Atlântico Norte como a temperatura do Atlântico Sul foi de 1,3ºC acima da média.

Este aquecimento favoreceu as chuvas em toda a costa norte do Brasil, desde o estado do Amapá até o litoral da Bahia. A previsão aponta para um aquecimento mais acentuado do Atlântico Norte um pouco mais acentuado que o Atlântico Sul, podendo diminuir a quantidade das chuvas sobre o norte da Região Nordeste, principalmente nos meses de junho e julho/2024.

No Oceano Pacífico Equatorial, as médias mensais da área de referência para definição do evento ENOS, denominada região de Niño 3.4 (entre 170°W-120°W), vem se observando valores de anomalias de Temperatura da Superfície do Mar (TSM) superiores a 0,5°C desde o mês de junho/2023, indicando o início das condições de El Niño. No mês de dezembro/2023, foi registrado o maior valor de 2ºC acima da média, atingindo o ápice do fenômeno.

Entre os meses de março/2024 e abril/2024, vem se observado o enfraquecimento das anomalias de 1,2ºC para 0,8ºC, passando de uma categoria moderada (entre 1,0ºC e 1,4ºC) para fraca (entre 0,5ºC e 0,9ºC).

Portanto, o modelo de previsão de Enos do APEC Climate Center (APCC), centro de pesquisa sediado na Coréia do Sul aponta para Neutralidade no trimestre maio-junho-julho/2024 (AMJ/2024), com uma probabilidade de 55% (barras em cinza na figura 7). Já no trimestre junho-julho-agosto/2024 (JJA/2024), existe 50% de chance de ocorrer o início do fenômeno La Niña.

O boletim tem como objetivo levar aos usuários informação meteorológica direcionada às atividades do campo.

Veja a edição completa do novo Boletim Agroclimatológico Mensal AQUI!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas