Moradores do município de Caetité, a 700 quilômetros de Salvador, que há três anos convivem com racionamento de água, sofrem com o atraso nas obras da adutora que pode dar fim ao problema da falta de água. A adutora do algodão, que está sendo construída para levar água do rio São Francisco direto para as casas dos moradores, está com obra parada por falta de energia elétrica, segundo informações da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). A previsão inicial do término da construção era julho deste ano.

Com o atraso, a população ainda sofre com o racionamento na cidade, que começou no ano de 2012. Apenas com o fim da obra que dá para falar em fim de racionamento. Enquanto isso, parte da adutora que está sendo construída foi ligada emergencialmente. A água chega no manancial do Santarém e é bombeada para Caetité.

Essa água que chega do rio São Francisco representa mais da metade do abastecimento do município. De acordo com o gerente interino da Embasa de Caetité, Antônio Silva, sem essa alternativa, a situação estaria pior. “Estaríamos em uma situação bem crítica. Provavelmente com carro-pipa. Este volume estaria sendo ofertado através de carros-pipas”, relatou o gerente.

Por meio de nota, a Coelba informou que já iniciou a obra de ligação para que a construção da adutora seja concluída. O prazo é para 30 de outubro. Com a demora, a Embasa precisou contratar outra empresa para dar continuidade à obra. O contrato é por mais seis meses. “A empresa licitada pela Embasa já está em fase de mobilização para execução dos serviços complementares, os serviços necessários para deixar nossas unidades em condições de operação”, disse Newton Contrim, gerente de obras da Embasa de Caetité.

G1 | TV Sudoeste

um comentários

Deixe uma resposta