Agência Brasil

Das 14 milhões de pessoas que moram nas áreas urbanas dos 1.135 municípios do Semiárido brasileiro, cerca de 10 milhões (71%) não são beneficiadas com coleta de esgoto sanitário, destinando os dejetos gerados em fossas, sumidouros, valas abertas ou diretamente nos rios.

Colabore

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e ganhe recompensas exclusivas, saiba mais!

A estimativa consta da publicação “Esgotamento Sanitário: Panorama para o Semiárido brasileiro”, lançada pelo Instituto Nacional do Semiárido (Insa). Desse total, apenas 243 cidades (21%) usam a coleta. O Semiárido cearense apresenta o maior número de sedes municipais atendidas por sistema de esgoto: são 68 de 150 (45%). Já o Piauí tem o menor número de áreas urbanas beneficiadas: apenas 5 municípios de 128 (4%). Segundo os dados, a cobertura não garante o atendimento a todos. Das 7,3 milhões de pessoas que moram nessas áreas urbanas, cobertas por sistema de esgoto, mais da metade (66%) não é beneficiada.

A pesquisa do instituto mostra ainda que a maioria das sedes municipais que possuem sistema de coleta de esgoto conta com estações de tratamento. Segundo a Agência Brasil, pelo menos 21% dos volumes coletados são lançados diretamente em valas a céu aberto ou em corpos hídricos, expondo os habitantes das cidades a diversas doenças.

Deixe uma resposta