Reprodução
Anúncio

Tiago Marques

O Aeroporto de Guanambi segue interditado para pousos e decolagens de aeronaves que precisam utilizar mais de 800 metros de pista. A restrição foi incluída no boletim NOTAM em 14 de julho do ano passado e renovada no dia 24 de março deste ano, com validade até 21 de julho.

Os morros que ficam no entorno do aeroporto foram considerados obstáculos pelas autoridades aeronáuticas e só aviões de pequeno porte estão aptos a usar a pista que tem 1700 metros. Além da restrição, a observação do NOTAN também instrui os pilotos de aeronaves que se enquadram nas condições de pouso e decolagem para realizarem o tráfego a partir da região sudoeste da cabeceira da pista, ou seja, os aviões precisam passar por cima da cidade nos pousos e decolagens. Mesmo com as restrições, aviões que utilizam mais de 800m de pista continuam pousando no aeródromo de forma irregular.

Morros são considerados obstáculos pelas autoridades aeronáuticas para aviões de grande porte
Restrições foram renovados em 23 de março e valem até 21 de Julho

É grande a expectativa para que a cidade comece a receber voos comerciais regulares. A empresa Azul Linhas Aéreas está interessada na operação na cidade, uma equipe executiva esteve no aeroporto para uma vistoria no mês de fevereiro. Os aviões da companhia que fazem voos domésticos regionais são do modelo ATR 72-600, não autorizados devido às restrições.

A pista precisa passar por reforma e novas adequações são necessárias para garantir o funcionamento do aeródromo. No entanto, se as restrições não forem reconsideradas, não será possível a vinda da empresa para Guanambi, uma vez que a remoção dos morros é impraticável. O aeroporto foi construído a quase três décadas e já operou comercialmente no passado, recentemente foi construído um novo saguão e instalações para o serviço de combate e prevenção à incêndios aeroportuários.

Modelo ATR 72 – 600 da Azul – Foto: Divulgação

Anúncio

Deixe uma resposta