Anúncio

Redação do Blog

Em decorrência não só da crise financeira existente, mas também da estiagem que vigora, o Ministério Público do Estado (MP-BA), assim como em outros anos, promete atuar na fiscalização dos recursos utilizados pelas prefeituras no período de festas juninas em 2017.

Segundo o portal Bahia Notícias, nos próximos dez dias o MP-BA deve encaminhar recomendações às prefeituras, cobrando que elas não gastem mais do que podem. Em entrevista cedida ao portal, o promotor Luciano Ghignone disse que a intenção não é acabar com os festejos, mas realizá-los dentro do que se pode pagar.

“O que se busca não é coibir as festas, mas fazer com que elas ocorram dentro do razoável. Os festejos de São João são tradicionais, tem um valor cultural, e o MP não quer que isso seja desprezado. A questão é que eles venham acontecer e causem prejuízo ao patrimônio público”, diz Ghignone ao Bahia Notícias.

Para o promotor, a receita pode sair de uma solução caseira. “Buscar uma programação mais criativa, que abra mão de atrações mais caras, privilegiando atrações locais, com gasto menor. Ou mesmo estabelecer parcerias externas que aliviem o município de custear tudo”, argumenta. Municípios com decreto de emergência em vigor devem redobrar a preocupação para que serviços essenciais, como os de saúde e educação, não sejam prejudicados.

Anúncio

Deixe uma resposta