O Plenário aprovou, nesta terça-feira, projeto que aumenta a pena para o crime de furto, quando for praticado com o uso de explosivos. Atualmente, a pena prevista para furto é de um a quatro anos de reclusão, e poderá chegar a de três a oito anos, nesses casos.

O objetivo da proposta é combater a prática de uso de explosivos em roubos a caixas eletrônicos, como explica o relator da proposta, deputado Arnaldo Faria de Sá, do PTB de São Paulo.

“É a tentativa de agravar a pena no caso de uso de explosivos. As dinamites que estão sendo utilizadas na detonação de todos os caixas bancários e que estão deixando a população tremendamente assustada. Vários supermercados, postos de gasolina que tinham caixas eletrônicos estão pedindo a retirada dos caixas eletrônicos para evitar o problema com a dinamite. E na verdade isso prejudica a população porque deixa de fazer o atendimento.”

O texto também prevê o aumento da pena de roubo de um terço até a metade, quando o roubo for de arma, munição ou explosivo. A pena prevista hoje é de quatro a dez anos de reclusão.

A votação de proposta para coibir os roubos a caixas eletrônicos foi um dos pedidos feitos pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em visita ao presidente Eduardo Cunha em fevereiro.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

A proposta que aumenta a pena para furto com explosivos segue para análise do Senado.

Reportagem – Paula Bittar

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui