fapesb lança editalIdentificado na Bahia, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), através do Programa de Apoio à Pesquisa para o SUS (PPSUS), o Zika vírus foi constatado com amostras de sangue, por meio de uma técnica chamada RT-PCR. Mobilizada no combate a Zika, Chikungunya e Dengue, a Fapesb lança o edital de Apoio a projetos de pesquisa em infecções virais emergentes e suas consequências.

O edital 001/2016 visa convocar pesquisadores vinculados às instituições de ensino superior e/ou de pesquisa e desenvolvimento localizadas no Estado da Bahia a apresentarem propostas para o apoio a projetos de pesquisa científica e tecnológica sobre as arboviroses: Zika, Chikungunya e Dengue. O envio do Formulário online contendo Carta de Intenções poderá ser feito até 01 de abril (sexta-feira), às 17h.

A ideia central do edital é apoiar a formação de redes de pesquisa, por meio do apoio financeiro a projetos de pesquisa científica, tecnológica ou de inovação com grupos nacionais e internacionais para maior entendimento de aspectos dessas epidemias causadas pelo agente transmissor Aedes Aegypti.

Para os interessados em participar do edital, a primeira etapa consiste em encaminhar à Fundação uma carta de intenções, pré-selecionadas por um Comitê de Seleção designado pela Diretoria Científica da Fapesb. Na segunda etapa, os coordenadores das propostas pré-selecionadas pelo Comitê de Seleção deverão encaminhar à Fundação o projeto completo e documentação complementar, de acordo com as exigências do edital.

“Estamos alinhados às preocupações do Governo em fomentar pesquisas em torno dessas doenças, que tem acometido a sociedade de maneira tão preocupante. Convocamos os cientistas do nosso Estado para submissão de propostas. Acreditamos que esse é um passo importante para vencer essa luta”, declarou o diretor-presidente da Fapesb, Eduardo Almeida.

Serão destinados pela Fapesb, recursos na ordem de R$5.000.000,00 (cinco milhões de reais), as propostas submetidas deverão apresentar orçamento mínimo de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) e máximo de R$1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais), com a possibilidade de ampliação com recursos financeiros de outros órgãos públicos, podendo ter a participação do Ministério da Saúde, MCTI e Confap.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Fonte: Fapesb

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui