Tiago Marques | Redação 96FM

Guanambi Empresários presos viviam vida de ostentação, casa em Miami e mansão em fazenda

Uma irregularidade descoberta pela CGU na execução de uma obra de reforma de uma escola em Pindaí, no valor de R$35 mil em 2009, durante a gestão do ex-prefeito Lourivaldo (Loro), foi a ponta do iceberg de um esquema milionário que lesou os cofres públicos de diversos municípios da região. A Operação Burla, deflagrada em Guanambi e outros municípios nesta quinta-feira (14), cumpriu  três mandatos de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão.

Além da Polícia Federal, participaram da ação o Ministério Público Federal e a Controladoria Geral da União (CGU), segundo apurações, o rombo pode ultrapassar R$ 80 milhões. Em entrevista coletiva concedida logo após o cumprimento dos mandatos, os representantes da força tarefa afirmaram que alguns dos envolvidos levavam vidas de ostentação. Foram apreendidos HD’s, documentos e comprovações de empresas fantasmas nas casas dos investigados. Um dos presos havia comprado uma imóvel em Miami nos Estados Unidos e estava negociando um avião particular, outro estava construindo uma mansão em uma fazenda da região, com piscina e até uma boate.

6870eb15-daed-4049-b863-3ca0c272992c

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

A PF informou que os investigados devem responder pelos crimes de responsabilidade, associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui