Agência Sertão

O Tribunal Regional da 3ª Região (TRF-3), negou nesta sexta-feira (15), o pedido de habeas corpus feito pela defesa de Joesley e Wesley Batista, irmãos sócios da JBS. Os irmãos Batista foram alvo de mandados de prisão preventiva na Operação Tendão de Aquiles, na quarta-feira (13). Os advogados de Joesley e Wesley, através de nota, informam que irão recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ), ainda nesta sexta. “A própria decisão reconhece a ausência de fato novo apto a justificar a prisão. A inexistência de qualquer outro preso preventivo no Brasil pela acusação de ‘insider trading’ revela uma excepcionalidade no mínimo curiosa”, dizem os advogados. “Insider trading” é um apelido dado no mercado para a prática de se obter benefício através de informações não publicadas. A Polícia Federal investiga se os sócios da JBS tiraram vantagem de seu acordo de delação para auferir lucos no mercado financeiro, fazendo reservas.

Joesley já esta preso temporariamente em Brasília, no caso que a Procuradoria-Geral da República o acusa de esconder informações em seu acordo de delação premiada, mas o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), converteu a prisão em preventiva nesta quita-feira (14). O empresário foi transferido nesta sexta-feira para a Polícia Federal em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui