Foto: Reprodução

Redação da Agência 

Nesta quarta-feira (25), começam as sessões do filme ‘Vazante’, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Um dos mais polêmicos da atual safra nacional, fala sobre escravidão, “a falha trágica brasileira”.

De acordo com notícias ao minuto, a definição é de Daniela Thomas, diretora do longa. A obra retrata a vida de um viúvo português, senhor de terras no Brasil, que deixa a filha sob o cuidado dos escravos enquanto parte em suas expedições comerciais.

“Foram quase 400 anos dessa aberração humana, desse genocídio, que é a base da nossa história, que nos constitui fundamentalmente. E também nos constitui o poder quase sempre incontestável do homem branco sobre seus escravos, sobre suas mulheres, quando não as escravas – de quem se serviam a seu bel prazer – às esposas meninas, dadas a homens muito mais velhos em casamento. Houve uma falência geral desse estranho pacto social que se fez aqui no Brasil Colonial”, comentou a diretora em entrevista a Rodrigo Fonseca, do site Omelete.

Segundo Daniela Thomas, é dessa pequena lista de temas que “Vazante” quis tratar: uma fração da complexidade que ainda resiste à compreensão e que ainda hoje atinge frontalmente a muitos brasileiros. “Temas explosivos, carne viva”, acrescentou a cineasta.

A produção brasileira foi reverenciada no Festival de Berlim e na revista Variety, que destacaram a sua “luz” e “imagens belíssimas”, respectivamente. Em 9 de novembro o primeiro longa solo da diretora, que foi parceria de Walter Carvalho em “Linha de Passe” e “Terra Estrangeira”, deve estrear em todo o país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui