Reprodução
Anúncio

Segundo informações divulgadas nesta segunda-feira (10) pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), O número de mortes provocadas pela gripe H1N1 aumentou na Bahia. Ainda conforme o Sesab, o número de casos registrados no estado também subiu de 246 para 250.

Na divulgação, coletada até 25 de agosto, foram contabilizadas 31 mortes pela doença. No boletim anterior, com notificações até o dia 15 do mesmo mês, eram 29 mortes. As mortes foram registradas em 18 das 417 cidades baianas.

Segundo o Ministério da Saúde, durante a campanha de vacinação contra o vírus, que acabou em junho, a Bahia atingiu 89,6% do público-alvo. No entanto, a meta era vacinar 90%. Para a campanha, 4.013.600 doses foram distribuídas no estado.

Em Guanambi, no boletim divulgado em junho, a Secretaria Municipal de Saúde informou que o município alcançou um dos maiores índices de imunização do norte/nordeste, após o fim da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe Influenza (H1N1, H3N2 e Influenza B).

A cidade atingiu o índice de 107,43% de imunização, superando a meta estipulada pelo Ministério da Saúde, que era de 90% para todo o país, conforme dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações – SIPNI – (Crianças: 4.914 – 94,63% / Trabalhadores de Saúde: 3.015 – 132,29% / Gestantes: 814 – 91,98% / Puérperas: 183 – 126,21% / Idosos: 9.823 – 112,40% / Professores: 850 – 84,83%. Total: 19.599. A meta municipal previa a imunização de 19 mil pessoas do grupo de risco.

O público-alvo da vacinação gratuita é composto por idosos a partir de 60 anos, crianças (maiores de 6 meses a menores de 5 anos), gestantes, puérperas até 45 dias (mulheres que ganharam bebês), trabalhadores de saúde, professores, portadores de doenças crônicas (com prescrição da vacina ou relatório médico).

Com informações do G1.

Anúncio

Deixe uma resposta