Divulgação

Geovane Santos | Agência Sertão

Mais um desdobramento em relação a construção da barragem de rejeitos da Bahia Mineração (Bamin) está previsto para acontecer nesta quinta-feira (6). Trata-se de uma manifestação contra a construção da barragem marcada para às 7h30, na Praça Getúlio Vargas (Praça da Matriz).

A manifestação está sendo organizada pelo movimento Vida Sim, Barragem Não. Essa mobilização ganhou ascensão após uma reunião ordinária da Câmara Municipal de Guanambi, na semana passada, onde representantes da Bamin apresentaram o projeto da construção da barragem e ouviram questionamentos da população e dos vereadores. Representantes da empresa garantiram a segurança e a sustentabilidade da barragem, população e vereadores se posicionaram contrários ao projeto.

Outro episódio que vem ganhando repercussão, foi a declaração da deputada estadual Ivana Bastos, na última sexta-feira (31) em Iuiú. Em entrevista concedida ao radialista Vilson Nunes e ao Portal Folha do Vale, a deputada afirmou confiar no licenciamento dos órgãos do Governo do Estado e no projeto apresentado pela Bamin para construção da barragem de rejeitos do projeto Pedra de Ferro. Além disso, ela disse ser a favor do debate, no entanto criticou a atitude daqueles que, segundo ela, estão jogando para a plateia.

Os organizadores do movimento Vida Sim, Barragem Não – criaram páginas no Instagram e Facebook, onde estão publicando vários posts contrários a construção da barragem e convidando a população para participar da manifestação. Nas redes sociais do movimento, foi publicada uma carta aberta às autoridades e a toda população do Território Sertão Produtivo. Essa carta destaca a primordialidade do envolvimento democrático da sociedade em projetos de grande impacto socioambiental, ressaltando que no projeto da Bamin, a opinião e a participação popular foram suprimidas, rompendo processos democráticos garantidos constitucionalmente.

Além disso, um abaixo-assinado está sendo proposto, pelo movimento, na página do Facebook contra a construção da barragem. Segundo o post, para escolha do local da barragem a população não foi consultada e os estudos técnicos realizados não foram mostrados nem compartilhados. Ainda de acordo com a publicação, há um parecer positivo com aprovação para funcionamento pleno emitido pelas autoridades competentes desde 2010. “Contudo, a sociedade civil organizada tomou ciência das ocorrências de forma tardia e agora utiliza dos meios legítimos para protestar contra a barragem de rejeitos”.

A barragem de rejeitos que a Bamin pretende construir terá 180 milhões de metros cúbicos e será instalada no leito do riacho Pedra de Ferro, na divisa dos municípios de Caetité e Pindaí. O riacho Pedra de Ferro é um dos afluentes do rio Carnaíba de Dentro, um dos principais formadores do lago da barragem de Ceraíma, distrito de Guanambi. A barragem de Ceraíma tem capacidade para 58 milhões de metros cúbicos.

Confira o áudio desta notícia

Confira mais informações sobre a manifestação nas redes sociais do movimento Vida Sim, Barragem Não: FacebookInstagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui