A primeira semana de julho chegou com temperaturas de verão em Guanambi. Nesta sexta-feira (5), o termômetro da estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou temperatura máxima de 35,1º C. Durante a manhã, a mínima registrada foi de 21,6ºC.

Neste sábado (6) não deve ser diferente, os institutos de meteorologia apontam que a temperatura pode chegar aos 36ºC durante a tarde. Às 11h, o Inmet já registrava temperatura de 31,2ºC

O calor veio após leve queda na temperatura no último fim de semana, quando foram registradas mínimas na casa dos 18ºC e máximas não superiores a 30ºC.

Em contraponto a tanto calor, a próxima semana promete ser a mais fria do ano, segundo os mesmos institutos de meteorologia. A partir deste domingo (7), a nebulosidade deve aumentar e o tempo volta a mudar.  A máxima deve ficar mais tímida, próxima dos 31ºC.

Já a partir da próxima segunda-feira (8), os termômetros podem marcar 14ºC no início das manhãs. As máximas ficarão abaixo 30ºC.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 
A Somar Meteorologia aponta mudança no tempo a partir de domingo (7) – Previsão atualiza dia 6/7/2019 às 3h.

Riscos à Saúde

Todo esse calor vem acompanhado de baixa umidade do ar, que nesta sexta-feira chegou aos 18%. No sábado, às 11h da manhã, a estação meteorológica já registrava apenas 22% de umidade. As autoridades mundias de saúde consideram como crítico, índice de umidade abaixo dos 30%.

Nestas condições não são recomendadas atividades físicas ao ar livre durante o período mais quente do dia. Também é necessário redobrar a atenção com a hidratação.

A baixa umidade do ar também contribui com a drástica amplitude térmica, diferença entre a temperatura máxima e a temperatura mínima registradas num determinado período de tempo. Com a umidade do ar baixa, a temperatura cai rapidamente após o por do sol.

Com essas variações bruscas na temperatura, o corpo humano funciona como uma montanha-russa de altos e baixos velozes demais para que o organismo consiga se adaptar.

Como o corpo não se adapta, tanto o calor excessivo quanto a umidade causam impacto nas vias respiratórias. A consequência, segundo especialistas, é o aumento na incidência de alergias como rinite, sinusite e asma, e infecções respiratórias (pneumonias).

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui