Reprodução

A  Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (6) a homologação do resultado do leilão de geração de energia para suprimento a Boa Vista, em Roraima, e localidades conectadas. O estado é o único não integrado ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e atualmente consome energia gerado por usinas termelétricas. O início do suprimento de energia está previsto para 28 de junho de 2021.

No total, estão previstos investimentos de R$1,62 bilhão. O deságio médi, em relação ao preço médio inicial previsto para o MegaWatt/hora (MWh) foi de 22,7%, ficando em R$ 833 por MWh, contra os R$ 1.078 por MWh previstos pelo governo.

Participaram do certame empreendimentos de fontes renováveis, como hídrica, solar, eólica, biomassa e biogás, ente outras. Ao final, foram negociadas nove soluções de suprimento. Os maiores investimentos serão em usinas de gás natural, com o investimento previsto de cerca de R$ 425,4 milhões na usina de Jaquatirica II; de cerca de R$ 537,7 milhões na usina Forte de São Joaquim, movida a biocombustível, e de cerca de R$ 126,9 milhões na Usina Monte Cristo Sucuba, movida a óleo diesel.

De acordo com a Aneel, o leilão é considerado inovador, pois viabilizou a aquisição de soluções de suprimento de qualquer fonte ou ainda mediante o uso misto de fontes, contendo ou não tecnologia de armazenamento de energia.

Fonte:  Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui