Disputa 1500 m Trofeu Brasil | Arquivo Pessoal

Geovane Santos | Agência Sertão

O atleta guanambiense Carlos de Oliveira Santos, de 29 anos, conquistou o ouro nos 1500m. Esse feito ocorreu no “Troféu Brasil” de atletismo, disputado em Bragança Paulista, nesta quinta-feira (29).

Cachorrão, como foi apelidado pelos amigos, concluiu a prova com o tempo de 3m45s52.

Na ocasião, Paulo André Camilo se tornou o primeiro brasileiro, na história, a conseguir correr os 100m rasos abaixo dos 10s – fez em 9s90. A marca, porém, não foi validada: o vento favorável era de 3.2 m/s, bem acima do limite de 2 m/s. Ainda assim, o capixaba conquistou o ouro.

Ainda no Troféu Brasil, Vitor Hugo Mourão e Rosângela Santos conseguiram índice para o Mundial de Doha, que rolará no fim de setembro. Os dois disputaram os 100m rasos com os tempos de 10s07 e 11s23 respectivamente.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Antes dessa competição, o guanambiense Carlos de Oliveira representou o Brasil nos Jogos Pan-americano 2019, em Lima, no Peru. Na prova de atletismo de 1.500m, realizada no dia 8 de agosto, ele ficou com a sexta colocação ao cruzar a linha de chegada com o tempo de 3min44s47.

A vaga foi conquistada em junho, ao atingir o índice para a prova, nos Estados Unidos. O atleta também disputou os 1.500m no Sul-Americano de atletismo no Peru, no dia 25 de maio, e conquistou o terceiro lugar em uma disputa acirrada do começo ao fim. A diferença dele para o campeão da prova foi inferior a um segundo.

A família de Carlos reside na fazenda Lagoa da Tabua, zona rural de Guanambi. O guanambiense iniciou no atletismo em 2001, na tradicional corrida do Suruá, comunidade de Guanambi. Atualmente reside em Bragança Paulista e tem contrato com a equipe do Esporte Clube Pinheiros.

Em entrevista concedida à Agência Sertão, Carlos falou sobre os desafios enfrentados durante a sua trajetória e a característica de persistir, mesmo em meio às adversidades. “Eu sempre gostei de ser desafiado, sou dedicado em tudo que faço e sempre quis estar entre os melhores. É uma meta que eu tenho desde pequeno. Nunca gostei de perder. Então eu acho que isso ajudou um pouco a chegar no alto rendimento do atletismo”, pontua.

Na final dos 1500m, no Troféu Brasil, 10 participantes disputaram a primeira colocação contra o guanambiense. A diferença para o segundo colocado foi de mais de um segundo.

Confira os adversários de Carlos de Oliveira:

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui