Reprodução

A Câmara de Vereadores de Guanambi aprovou na sessão desta segunda-feira (16), 0 projeto de lei nº 031/2018, apresentado pelo Vereador Edileno Oliveira (DEM), que prevê o direito à meia entrada em eventos culturais, esportivos ou de lazer, realizado em locais públicos, para quem foi doador de sangue na cidade.

Em sua justificativa, o vereador argumentou que existe uma constante falta de sangue no banco de sangue no Hemoba de Guanambi. “Muito se sabe, que nem sempre é fácil encontrar pessoas dispostas a se tornarem doadoras voluntárias de sangue, apesar das inúmeras campanhas sobre a importância desse gesto solidário e de compaixão à vida humana”.

Ainda de acordo com o Projeto, a meia-entrada corresponde a 50% do valor efetivamente cobrado pelo ingresso, sem restrição de data e horário.

Para ter direito ao benefício da meia-entrada, o doador deverá comprovar a condição no momento da aquisição do ingresso, e na portaria, quando adentrarem no local da realização do evento. A comprovação deverá ser realizada por meio de documento oficial emitido pelo HEMOBA, juntamente com documento oficial de identidade (com foto).

Vereador Edileno foi o autor do projeto

“Temos consciência dos esforços dos governos federal e estadual na realização de campanhas educativas esporádicas visando à conscientização da população para a doação de sangue. Essas campanhas não têm sido suficientes para dotar os bancos de sangue de condições plenas de funcionamento. A reclamação é geral: sempre há falta de estoque de sangue e hemoderivados quando mais se precisa; e como já existe Projetos dessa natureza em outras cidades do país, resolvi também fazer com que essa realidade venha para a nossa cidade” afirmou o vereador.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

O projeto tramitou na Casa Legislativa durante pouco mais de um ano antes de ser aprovado. Para virar lei, o projeto precisa ser sancionado pelo prefeito Jairo Magalhães.

A meia entrada já é um direito legal, amparado por legislação federal, para estudantes, jovens de baixa renda e deficientes físicos.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui